Imagens do bodybuilder austríaco Andreas Münzer voltaram a invadir a internet este mês, assinalando 19 anos depois da sua morte. Os seus vídeos de treino continuam a fazer furor no YouTube e há vários tributos da comunidade a este autêntico Hulk da vida real. Mas Münzer, conhecido como "Mr. Ripped", não é apenas uma inspiração, é também um alerta, porque morreu com apenas 31 anos, e foi a sua obsessão com o físico que determinou a morte precoce.

Consta que a autópsia de Münzer revelou uma composição corporal incrível de quase 0% de gordura - muito abaixado do desejado mesmo para atletas. Segundo o Conselho Americano de Exercício, o ideal situa-se entre os 6% e os 13% para atletas masculinos (14% a 20% para o sexo feminino), mas há um mínimo: a "gordura essencial", que assegura funções fisiológicas básicas, é de 2% e 5%.

Publicidade
Publicidade

A morte de Münzer ocorreu, segundo reportado na altura, devido à falência múltipla de órgãos - uma conjunção do abuso de substâncias esteroides anabolizantes e da percentagem muito baixa de gordura. Depois da sua última competição no San Jose Pro show, em Março de 1996, Münzer sofreu hemorragias internas, que prosseguiram nas últimas horas de vida, em que fez o voo transatlântico de volta à Europa. Quando aterrou em Munique, sofrendo "dores excruciantes", segundo disse o bodybuilder Nasser El Sonbaty ao site BodyBuilding, foi levado de urgência para o hospital. Morreu durante a cirurgia.

"A percentagem de gordura corporal é um grande problema com os bodybuilders", afirma Brian Washington, comissário da Federação de Bodybuilding dos Estados Unidos, ao canal ABC. "Eles dedicam muitos dos seus esforços e dinheiro para chegarem o mais baixo possível", isto é, terem o mínimo de gordura possível - mesmo com os riscos de morte associados. Münzer tinha uma dieta muito baixa em calorias e abusava de substâncias químicas.

Publicidade

Carol Garber, professora na Universidade de Columbia, em Nova Iorque, alerta que "precisamos de gordura corporal para as funções celulares, uso de energia e para 'almofadar' as articulações e os órgãos". Ter muito pouca gordura, acrescenta, "pode levar a deficiências nutricionais, desequilíbrio eletrolítico e mau funcionamento do coração, fígado e outros órgãos".

O fascínio com o físico de Münzer mantém-se, mas a indústria - que em Portugal é promovida pela Federação Lusa de Cultura Física, representante legal da IFBB (International Federation of Bodybuilding and Fitness) - evoluiu para um visual mais natural, menos 'Hulk'. A morte precoce do desportista austríaco, apenas 7 anos depois de chegar a profissional, continua a ser um dos episódios mais terríveis deste desporto de competição.