Laura Jiménez. É este o nome que está no centro das atenções do #Futebol espanhol neste momento. A árbitra de 21 anos foi humilhada e alvo de insultos sexistas no passado dia 22 de Fevereiro num jogo do campeonato regional andaluz. Descontentes com a actuação da então árbitra assistente, os adeptos da casa decidiram “bombardear” a jovem de Cádiz com comentários insultuosos e humilhantes que levaram o UD Tesorillo a pedir desculpa publicamente. Para agravar a situação, a Federação espanhola de futebol multou o clube em apenas 50 euros.

Num relato feito na primeira pessoa ao jornal “El País”, Laura Jiménez conta que não se sente minimamente intimidada e garante que vai voltar a exercer o que mais gosta de fazer, arbitrar.

Publicidade
Publicidade

No entanto a jovem de 21 anos recorda o que aconteceu: “Um dos cantos do campo do lado em que estava a servir de assistente estava praticamente cheio. Depois do penálti assinalado a favor do Jédula, os adeptos começaram a insultar-me, principalmente depois de um jogador da casa (UD Tesorillo) ter sido expulso e de ter dito para eu ir para casa limpar o pó. Depois os adeptos disseram tudo e mais alguma coisa. ‘Quem nos dera que Franco voltasse e vos fizesse regressar ao vosso sitio que é a cozinha’, foi da frases que decorei”, afirmou a árbitra.

Entre estes e outros insultos, que não merecem sequer ser reproduzidos, toda a situação foi descrita no relatório do jogo que foi entregue ao Conselho de Arbitragem. Mas, para surpresa de todos, a federação multou o emblema da casa por mau comportamento dos seus adeptos com a aplicação de uma multa de apenas 50 euros.

Publicidade

Numa decisão que deixou a classe do apito espanhola em estado de choque, um recurso já seguiu para a comissão anti-violência e o caso já chegou aos principais meios de comunicação de Nuestros Hermanos, prometendo ganhar novos contornos dentro de poucos dias.

Enquanto o processo não conhece novos desenvolvimentos, Laura Jiménez afirma que apesar de estar habituada a ouvir impropérios vindos das bancadas, nunca tinha vivido situação parecida. No entanto, a jovem de 21 anos garante que no próximo fim-de-semana vai regressar aos campos e diz que vem com mais “ganas”.