Uma "goleada das antigas". Esta foi uma expressão ouvida muitas vezes ontem no Estádio da Luz, depois do Benfica cilindrar o Estoril-Praia por 6-0. Naquele que foi o segundo encontro em que os encarnados marcaram cinco ou mais golos esta temporada, as águias recordaram a época de estreia de Jorge Jesus, em que por sete vezes (!) os adversários saíram complemente de rastos, depois de enfrentarem o "rolo compressor". As vitórias "gordas" são cada vez mais raras, mas ontem os adeptos encarnados recordaram os velhos tempos.

O triunfo por 6-0 frente ao Estoril é apenas o segundo em mais de um ano, o tempo que dista da última vitória por cifras acima ou iguais aos cinco tentos.

Publicidade
Publicidade

Mas puxemos a fita atrás. A temporada 2009/2010, que marcou a estreia de Jorge Jesus ao leme do #Benfica foi mesmo a mais rica no que às goleadas diz respeito. Foram "apenas e só" sete os jogos em que as águias marcaram cinco ou mais golos. Neste cardápio, destacam-se as vitórias por 8-1 frente ao Vitória de Setúbal, o 0-6 contra o modesto Monsanto, o 6-1 frente ao Nacional e o 5-0 que se repetiu frente a Leixões, Everton, Marítimo e Olhanense. Os encarnados foram campeões nesse ano, com 78 tentos apontados.

A temporada seguinte já registou uma (natural) quebra, tendo as águias chegado por quatro vezes às goleadas. Foram os casos do 5-1 frente ao Arouca, do 5-2 contra ao Rio Ave, do 5-0 frente ao Olhanense e do 1-5 em Paços de Ferreira. Já a época 2011/2012 foi curta em vitória gordas, conseguindo os encarnados apenas uma por 5-1 na recepção ao Rio Ave.

Publicidade

O Benfica apresentava dificuldades em golear da forma que o fizera no ano de estreia de Jorge Jesus, e por isso mesmo o técnico afirmou que nunca teve um plantel tão rico como aquele que orientou em 2009/2010, onde tinha, por exemplo na frente de ataque, Cardozo, Saviola, Aimar e Di Maria. 2012/2013 marcou o regresso das goleadas nos encarnados. Com Rodrigo a brilhar e já com Lima a fazer sombra a Oscar Cardozo, o Benfica venceu no Bonfim por 0-5 e derrotou na Luz o Desportivo das Aves por 6-0 e o Rio Ave por 6-1.

Depois de no ano passado, apenas o Gil Vicente ter sofrido na pele, perdendo por 5-0, eis que ontem foi a vez do Estoril-Praia ter "assistido" ao regresso das tardes goleadoras das águias. Com um #Futebol de grande qualidade, perfumado e a uma velocidade alucinante, muitos foram os que recordaram os tempos da temporada de estreia de Jesus na Luz. A nota artística está de volta ao Benfica e com muitos golos à mistura.

Tacuara é rei onde o capitão Luisão gosta de 'molhar a sopa'. Setúbal é cliente favorito.

Em seis anos com Jorge Jesus no Benfica, golo é claramente sinónimo de um nome - Oscar "Tacuara" Cardozo.

Publicidade

O melhor marcador estrangeiro de sempre de águia ao peito fez 21 golos em jogos em que os encarnados marcaram cinco ou mais tentos num só jogo. Seguido de Javier Saviola (11 golos) e Lima (7 golos), surge o defesa central, mas também goleador, Luisão. O capitão é "cliente" habitual nas vitórias gordas, somando 6 tentos nestas partidas, tal como ontem fez frente ao Estoril. Já nos alvos predilectos dos encarnados, destaque para o Vitória de Setúbal que somou 18 golos nestas 6 temporadas só em goleadas. Na memória fica o 8-1 de 2009/2010, que é a vitória mais folgada das últimas décadas das águias em todas as competições. O 6-0 de ontem frente aos canarinhos entrou directamente para o top-3 dos maiores triunfos da era-JJ.