O #Atletismo está triste com a notícia que hoje recebeu. Naide Gomes anunciou esta quinta-feira que vai abandonar a carreira de atleta profissional. Campeã da Europa e do Mundo de salto em comprimento, termina aos 35 anos um trajecto recheado de sucesso. No entanto, os últimos dois anos foram demasiado penosos para a atleta que nasceu em São Tomé e Príncipe. É um adeus que já era anunciado, mas que se lamenta.

Em Portugal desde tenra idade, Enezenaide (sim, é este o nome de Naide Gomes) veio aos 11 anos para o nosso país e desde cedo deu mostras de possuir qualidades inatas. Com uma altura que a demarcava das restantes raparigas da sua idade, Naide Gomes cedo se destacou, começando em 1994 uma ligação quase eterna no Sporting Clube de Portugal.

Publicidade
Publicidade

Curiosamente, a primeira de três vezes que participou nos Jogos Olímpicos foi ainda a defender as cores da terra mãe santomense, mas depois foi já com Portugal ao peito que esteve nos Jogos de Atenas (2004) e Pequim (2008). Foi no salto em comprimento que Naide Gomes encontrou a sua praia e foi aí que se notabilizou. Os pontos altos da sua carreira aconteceram em 2010, quando se sagrou campeã do Mundo. Também a Europa foi conquistada pela atleta lusa, que foi bicampeã em 2005 e 2007 em pista coberta; mas antes Naide já tinha festejado o título mundial no Pentatlo nos Mundiais indoor em 2004.

Detentora do recorde nacional do salto em comprimento ao ar livre, Naide Gomes saltou 7m12cm. Também na "versão" indoor o recorde é da atleta nascida em São Tomé e Príncipe, com uma marca de 7 metros.

Publicidade

Sem competir desde 2013, e a contas com várias lesões que a levaram mesmo à mesa de operações, Naide nunca baixou os braços, mas chegou agora ao seu limite, facto que a levou a tomar a difícil decisão de colocar um ponto final na sua carreira.

Sempre com um sorriso na face, foi assim que nos habituamos a ver Naide Gomes. Hoje, aos 35 anos era difícil pedir esse último esforço à atleta que tantas alegrias deu aos seus dois países. São Tomé e Príncipe e Portugal agradecem.