Parece ter os dias contados o velhinho Estádio Osvaldo Teixeira Duarte nos arredores de São Paulo. Mais conhecido como Canindé, a casa da Portuguesa de Desportos, vai mesmo ser demolido para dar lugar a um recinto mais moderno e com praticamente a mesma lotação, a rondar os 20 mil lugares. O projecto conta com especial apoio da Kauffmann, empresa líder no ramo da construção no Brasil, que vai ainda edificar no espaço do velho estádio sete torres comerciais e também um hotel que a própria firma vai gerir. A palavra está agora do lado da Prefeitura de São Paulo que terá de vender um terreno ao clube.

Em questão estão cerca de 110 metros quadrados usados em comodato pela Portuguesa, mas em que 55 metros² são pertença da Prefeitura paulista e os restantes do clube.

Publicidade
Publicidade

Para que o projecto do novo estádio seja aprovado, a totalidade do espaço terá de pertencer ao emblema com raízes lusas, para depois sim nascer a nova casa do #Futebol do emblema de São Paulo. O modelo de negócio é muito parecido ao que o Palmeiras "usou" para edificar a recente Arena Palestra Itália (também em São Paulo). Numa parceria entre a Portuguesa e a Kauffmann, a empresa vai construir numa área de sensivelmente 70 m² o novo estádio da Lusa, juntamente com um complexo desportivo que contará ainda com piscinas, campos de apoio e instalações para o efeito.

Além de desonerar o clube paulista de cerca de 43 milhões de euros de passivo, o que é uma grande ajuda para a Portuguesa, a Kauffmann vai depois ficar com o ónus de ser proprietária do complexo urbanístico e turístico que vai nascer onde agora está o velho Canindé.

Publicidade

Além da gestão dos espaços comerciais que vão ficar sediados no novo estádio, a empresa vai construir sete torres comerciais além de um hotel, do qual pensa tirar grandes dividendos. Todos os pormenores deste meganegócio, que pode salvar a vida do clube, vão ser anunciados brevemente.

Benfica venceu na inauguração oficial do Canindé em 1972 num jogo que não chegou ao fim

Com uma história umbilicalmente ligada a Portugal, a Portuguesa é um clube que foi fundado por emigrantes lusos no Brasil. Sediado em São Paulo, surge da fusão de cinco sociedades, todas elas portuguesas que adoptaram num só emblema as cores e os princípios nacionais que até hoje têm um lugar de destaque no futebol canarinho.

No que à história diz respeito, a Portuguesa inaugurou de forma oficial o seu Estádio em 1972, convidando para esse jogo o #Benfica. Com um elenco em que constavam nomes como José Henrique, Toni, Simões, Vítor Baptista ou Jordão, as águias venceram por 1-3 com golos de Vítor Baptista, Jordão e Simões de penálti.

Publicidade

Também da marca dos onze metros, Marinho fez o golo de honra da Portuguesa. Num jogo que marcou a inauguração do primeiro anel do Canindé, uma valente chuva torrencial não deixou que a partida chegasse ao fim.

O velhinho Osvaldo Teixeira Duarte tem os dias contados, mas a Lusa está prestes a virar uma página da sua vida de forma a deixar para trás os graves problemas que quase colocaram um ponto final num clube que continua a ligar Portugal ao Brasil.