Carlos Queiroz foi este sábado impedido de embarcar para a Europa com a restante comitiva da Selecção iraniana. De saída do cargo de treinador do “Team Melli”, as autoridades portuárias retiveram o técnico de 62 anos por supostas dividas ao fisco. Os valores são ainda desconhecidos, mas foi noticiada a fúria do português aquando da sua “detenção”, visto que o pagamento destas quantias seria da responsabilidade da própria Federação Iraniana de #Futebol. Oceano Cruz, adjunto de Queiroz, orientará o Irão nos particulares em solo europeu.

A notícia marcou o dia informativo no Irão, com a Agência IRNA a confirmar que Carlos Queiroz tinha sido impedido de sair do País para o jogo da próxima quinta-feira na Áustria frente ao seleccionado chileno e depois contra a Suécia.

Publicidade
Publicidade

Segundo reporta a agência informativa, no momento do embarque no aeroporto internacional Imam Khomeini, juntamente com a restante comitiva, Carlos Queiroz foi retido de forma a que fosse impedida a sua saída do País. O Irão não deixa sair qualquer cidadão que tenha dívidas ao Estado, e foi nessa condição que o treinador português foi identificado. Em causa estão valores relativos a impostos relacionado com salários e prémios de jogo que o ainda seleccionador do Irão auferiu nos dois últimos contratos que assinou com a Federação Iraniana de Futebol.

Pressões externas ditaram demissão

Este episódio ocorre poucas horas depois do anúncio da saída de Carlos Queiroz do comando técnico do Irão. Apesar de ter contrato até 2018, o ainda seleccionador daquela equipa asiática remeteu para factores externos as razões da sua demissão.

Publicidade

Afirmando que nem ele nem o presidente queriam que tal acontecesse, Queiroz deixou no ar que pressões externas estiveram na origem de um problema que não vinha de agora. Apesar da saída estar já certa, o treinador acordou com a Federação orientar ainda a equipa nestes dois particulares na Europa frente a Chile e Suécia, e depois sim abandonar o “barco”, mas este súbito imprevisto pode trazer novos dados para este caso.

Para já Carlos Queiroz está “preso” no Irão, enquanto a selecção já partiu para a Europa. Tudo indica que tudo não passará de um mal-entendido que será resolvido nas próximas horas, mas que, com certeza, acelerará a sua saída do comando técnico do “Team Melli”.