É uma mulher num mundo de homens. Carmen Jordá é já considerada como a grande contratação para a temporada da 2015 da Formula 1. Com o #Automobilismo a correr-lhe nas veias, a alicantina de 27 cumpre um sonho de criança: conduzir um monolugar. Vai ser a piloto de testes de Lotus e pode, a qualquer momento, "saltar" para um Grande Prémio.

Aos 27 anos Carmen Jordá anda literalmente nas nuvens, depois de ter cumprido o sonho de uma vida, ao assinar por uma equipa da Formula 1. Num feito considerado quase como um privilégio apenas ao alcance dos melhores pilotos do circuito, a chegada de Jordá ganha ainda maior relevo por se tratar de uma mulher.

Publicidade
Publicidade

Com a velocidade e o volante como partes integrantes do seu ADN, a piloto espanhola vive neste meio praticamente desde que nasceu. Filha de um ex-piloto, José Miguel Jordá, desde pequena que o automobilismo é como um vício, tendo admitido isso mesmo por mais que uma vez; pilotar é a sua vida.

Tendo começado apenas com 12 anos no Campeonato da Comunidade Valenciana de karts, numa competição em que conquistou o terceiro lugar, Carmen Jordá estava um ano depois nos Campeonatos Nacionais de Espanha, onde ficou no sétimo posto. Sinónimo de qualidade e perseverança, a piloto natural de Alicante partiu depois para o Reino Unido onde começou a correr na Formula 3, "transformando-se" em relativamente pouco tempo numa das jovens promessas do automobilismo mundial.

Depois da Formula 3, seguiu-se o salto para os Estados Unidos em 2010, onde começou a correr nas provas da Indy Lights.

Publicidade

Com uma evolução que não passava despercebida a ninguém, Carmen Jordá depressa passou para a IndyCar, uma das competições mais importantes do mundo dos carros na América. O salto para a Formula 1 estava cada vez mais perto, mas antes faltava ainda mais uma etapa, a GPR Series. De novo de regresso ao Velho Continente, a piloto espanhola já estava na antecâmara do seu grande objectivo.

Depois de voltar a fazer história, ao tornar-se na primeira mulher que conseguiu manter-se neste nível (elevadíssimo) durante três anos consecutivos, o passado mês de Fevereiro trouxe a grande e tão ansiada notícia: a equipa Lotus tinha escolhido Jordá como piloto de testes. Numa fase inicial, a espanhola vai pilotar o monolugar apenas no simulador que a escuderia tem em Enstone, em Inglaterra, havendo também a hipótese de "saltar" para dentro da pista em algumas sessões de treinos ao volante do novo E23 Hybrid.

Comparada a Pedro de La Rosa, também espanhol, no estilo de condução, Carmen Jordá vai encontrar com certeza o seu ídolo, Fernando Alonso, que vai falhar a primeira prova do ano. Definindo-se como uma mulher lutadora, a alicantina é também uma árdua defensora dos direitos das mulheres e vem trazer à Formula 1 a beleza que faltava ao circuito mundial, juntando-se assim a Susie Wolff.