O percurso de José Mourinho como treinador principal começou no Benfica, em 2000/2001, mas, a julgar pelas recentes declarações, de Hristo Stoichkov, o conceituado técnico português começou a exercer funções como líder no Barcelona, na temporada 1997/1998. Naquela época, Louis Van Gaal foi contratado para dirigir tecnicamente os "blaugrana" e encontrou Mourinho, que tinha chegado à Catalunha na temporada anterior, como adjunto de Bobby Robson.

A Supertaça Europeia foi o primeiro troféu conquistado, em 1997, seguindo-se, depois, a dobradinha, ou seja campeonato e Taça do Rei, em 1997/1998, e a renovação do título em La Liga na temporada seguinte, sob liderança de...

Publicidade
Publicidade

José Mourinho. "Não pensem que Mourinho era um simples tradutor ou adjunto, ele já era o treinador. Mourinho compreendia tudo e sabia tudo sobre a nossa equipa e os adversários", referiu Stoichkov ao diário Sport, cujo talento #Futebolístico é tão notável, como a arte de criar... polémicas.

Saída sem glória

Apesar do sucesso conhecido, Louis Van Gaal, acusado agora pelo búlgaro de ser "ordinário", e José Mourinho saíram do Barcelona em 1999/2000, na sequência de uma temporada dominada pelo... Deportivo da Corunha, campeão de Espanha, com mais cinco pontos do que os catalães, segundos classificados, e onde o Real Madrid ficou apenas no quinto (!) lugar.

Van Gaal voltaria a orientar o Barcelona, depois de treinar a selecção da Holanda, em 2002/2003, e é agora adversário de Mourinho na Premier League, uma vez que lidera a equipa técnica do Manchester United, enquanto que o português treina o Chelsea.

Publicidade

No campeonato inglês, a vantagem pertence, claramente, a Mourinho, uma vez que os "blues" são líderes, com 67 pontos, mais oito do que os "red devils", quarto classificados. No confronto directo, houve uma igualdade a um golo, em Old Trafford, estando marcado novo duelo para 18 de Abril, no Stramford Bridge.

Regresso desejado

José Mourinho nunca foi esquecido em Barcelona, surgindo diversas vezes como possível treinador, o que pode ganhar novamente consistência se Joan Laporta regressar como líder dos "blaugrana". O dirigente revelou, há dois anos, que o português quis treinar o Barça, depois de ter saído do Chelsea, o que não aconteceu, porque, entretanto, Josep Guardiola foi escolhido como treinador principal.