Esteve cerca de nove anos em Portugal, três e meio no FC Porto e somente 6 meses no #Sporting. Clayton foi este domingo um espectador atento do clássico entre dragões e leões e não esconde que o “seu” Porto venceu bem. Em exclusivo para a Blasting News, o canhoto que entrou em território nacional pela mão do Santa Clara em 1999 destaca a apatia dos leões e a magia de Jackson Martinez. No entanto, considera difícil o Benfica perder o campeonato.

“Foi uma vitória justa do FC Porto, com uma equipa muito bem organizada e com os jogadores essenciais a decidirem a partida. O Jackson Martínez fez “magia” lá na frente, o Herrera controlou o meio campo e teve ainda uma defesa muito forte e concentrada”, foi desta forma que Clayton resumiu a forma como os azuis e brancos se superiorizaram frente ao Sporting. Num clássico que era essencial para os dois emblemas, levaram a melhor os Dragões que assim não se atrasaram em relação ao líder Benfica.

Já o Sporting, que podia ter, em caso de triunfo, reduzido a desvantagem para os portistas, saiu vergado a uma derrota pesada e que, na opinião de Clayton, se deveu à falta de atitude dos homens de Marco Silva, deixando uma crítica a Nani: “O Sporting entrou muito apático e com alguns jogadores sem chama alguma. Um clássico destes exige muito mais. Os melhores jogadores não chamaram para si a responsabilidade do jogo como deveria acontecer (principalmente o Nani) e acabaram por dar muitos espaços ao FC Porto. No Dragão é inadmissível que tal aconteça”.

Agora a 11 pontos do líder Benfica, Clayton não tem dúvidas; o Sporting já só deve pensar em manter o terceiro lugar, porque o campeonato vai ser decidido a dois: “O Sporting está claramente fora da luta pelo título e o FC Porto, com esta vitória está mais vivo que nunca!”. No entanto, quando os dragões mantêm os 4 pontos de atraso para as águias e ainda com 11 jornadas para o fim da Liga, o brasileiro duvida que os actuais líderes deixem fugir o bi-campeonato: “Como disse, o FC Porto está mais vivo que nunca, mas no #Futebol português, esta diferença do Benfica (4 pontos) é difícil de ser anulada”, afirmou o canhoto de 39 anos que amealhou ao longo da carreira de dragão ao peito um campeonato nacional, três Taças de Portugal, uma Supertaça Cândido de Oliveira e ainda a Taça UEFA em 2003.

No final das contas, o homem da partida acabou por ser Christian Tello, que ao apontar um hat-trick entrou na história dos clássicos. 3-0, venceu o FC Porto sobre o Sporting que entrou apático no Dragão e saiu borda fora da corrida pelo título. #F.C.Porto