Porque neste mundo somos todos iguais, merecemos um futuro melhor e nada é impossível. Porque para concretizar algo é preciso: sonhar, querer e poder. Nada acontece por acaso, tudo na vida tem uma razão de ser. Somos matéria feita de energia e este poder energético é que nos move, é que nos faz acreditar que sonhos não são impossíveis. Basta acreditar. E Jorge Pina acreditou. Português, 39 anos, ex-pugilista nacional com diversos títulos conquistados, atual atleta paralímpico, detentor de uma medalha de prata no campeonato da Europa de #Atletismo, invisual após uma fatalidade, acreditou que mesmo diante de uma dificuldade nada é impossível e criou, com um grande apoio, a primeira escola de atletismo adaptado do país.

Publicidade
Publicidade

A história começou com a fundação de uma associação. Como relembra Jorge: "A ideia de criar uma associação com o meu próprio nome surgiu dentro de um grupo de amigos logo após eu ter cegado em 2006". Após um início conturbado, por não ter um espaço físico, apoio financeiro, poucas pessoas a ajudar e concorrer a vários projetos sem resultados, finalmente em 2013 ganha alguns apoios que permite o seu crescimento. Hoje, a "Associação Jorge Pina" tem uma equipa e conta com um espaço no Bairro do Armador - Marvila para a sede, centro desportivo e centro cultural AJP, cedido pela Câmara Municipal de Lisboa.

A Associação foi fundada em 2011 e cresceu com os apoios em 2013. Entretanto, havia um sonho por concretizar e que fazia com que Jorge Pina não desistisse. É quando surgem no destino desta organização duas empresas com interesses comuns: a Rexona e a agência criativa Torke CC.

Publicidade

"Reuniram-se comigo para perguntar o que eu queria e qual era o meu sonho. Eu contei-lhes que o meu objetivo era criar uma Escola de Atletismo Adaptado. "Ideia que eles aderiram de imediato", conta. E assim nasceu o projeto: "Correr por mais Portugal". "O desafio que fizemos aos portugueses, foi de que por cada quilómetro percorrido doariam um euro para a construção da Escola. O objetivo inicial era atingir os 35 mil km, mas este valor foi largamente ultrapassado e os portugueses correram mais de 135 mil km para ajudar na criação desta escola", explica o atleta.

A 5 de Novembro de 2014 houve um 'Openday', que foi realmente quando a escola começou. A inauguração ocorreu no dia 5 de Fevereiro deste ano, onde estiveram presentes várias entidades e algumas figuras públicas como José Moutinho, Raquel Strada e Francisco Mendes, além de 70 crianças que marcaram a abertura oficial - poderiam ter sido mais se houvesse transportes especiais.

A Escola de Atletismo adaptado promove a prática de desporto entre jovens com diferentes deficiências.

Publicidade

Está a funcionar de uma forma gratuita no parque de Jogos 1º de Maio - Fundação Inatel às 3ª, 5ª e 6ª feiras entre as 10h e as 12h e conta com cinco treinadores especializados. Alguns foram atletas e a maioria tem larga experiência na área de necessidades especiais, apresentando mesmo resultados excelentes a nível internacional, nomeadamente nos Jogos Paralímpicos. "Sentimos (eu e toda a equipa) que acima de tudo há entusiasmo envolto nas aulas e alegria dos nossos atletas!", entusiasma-se Jorge, contente com o esplêndido resultado obtido, e continua "nos treinos temos vindo a aperceber-nos de vários alunos que têm certas qualidades e competências. Que, sendo bem acompanhados, podem vir a ser uma mais valia para o desporto adaptado e para o futuro".