Sem papas na língua, foi desta forma que Filip Djuricic se apresentou numa entrevista. Emprestado pelo Benfica, primeiro ao Mainz e agora ao Southampton, o sérvio não escondeu a desilusão por não ter sido aposta na Luz. Reforçou que escolheu as águias por ser um grande clube e que foi uma conversa com Rui Costa que o fez aceitar o convite dos encarnados. Menos agradáveis são as palavras para Jorge Jesus, um treinador que, na opinião do médio, nunca acreditou em si.

Contratado ao Heerenveen por 8 milhões de euros no Verão de 2013, Djuricic chegou ao #Benfica visto como o substituto ideal para a posição 10, que acabara de perder Pablo Aimar.

Publicidade
Publicidade

Apresentado como um virtuoso e com características que faziam lembrar Rui Costa, o médio sérvio chegou, viu mas nunca se afirmou. Na Luz somou 22 jogos, em todas as competições, tendo marcado dois golos, um na Taça de Portugal e outro na Liga dos Campeões. Escolhido por 14 vezes para o onze inicial, Djuricic foi alternando os jogos em que apresentava sinais positivos e os que quase nem se via em campo. No entanto, o factor ambientação era visto como a principal causa de um rendimento muito abaixo do esperado.

A surpresa acabou por surgir no arranque da segunda época, quando ficou confirmado que Djuricic ia ser emprestado aos alemães do Mainz. Afinal o que mudara? De um ano para o outro o sérvio deixava de ser visto por Jorge Jesus como um jogador de futuro. E foi isso mesmo que o médio sentiu ao longo da primeira temporada, que o técnico não acreditava no seu potencial e que o próprio grupo não precisava do seu contributo.

Publicidade

Djuricic afirmou, inclusive, que apenas Rui Costa, o mesmo que o convenceu a assinar pelos encarnados, o apoiou.

Apesar de ter visto Jorge Jesus dispensá-lo, Djuricic não tem problemas em afirmar que o treinador é o "melhor estratega" com quem alguma vez trabalhou. Já sobre um regresso à Luz, o sérvio respondeu com um "nim", dizendo que gostaria de ficar no Southampton mas que também não quer sair do Benfica sem deixar a sua marca. Para já o futuro está certo em Inglaterra até ao fim da temporada, tendo a equipa treinada por Ronald Koeman opção de compra do seu passe. Mas a verdade é que, caso a transferência não se concretize, as probabilidades de Djuricic voltar a integrar o plantel principal do Benfica só aumentam se Jorge Jesus não for o treinador das águias, porque se JJ se mantiver como timoneiro do emblema da Luz, então o sérvio muito provavelmente nunca mais jogará de águia ao peito. #Futebol