A tripulação franco-chinesa Dongfeng Race Team, a disputar a regata à volta do mundo para equipas profissionais Volvo Ocean Race 2014-2105, enfrenta um sério problema a bordo com a quebra do topo do mastro. O incidente ocorreu enquanto a equipa navegava a mais de 30 nós (54 km/h) nos remotos mares austrais, a caminho do cabo Horn, na 5.ª etapa da rota (de Auckland, na Nova Zelândia, a Itajaí, no Brasil). Os oito velejadores a bordo - inclusive dois chineses Yang Jiru e Liu Xue que se estreiam em navegação oceânica de alta competição, além do repórter de bordo Yann Riou - não sofreram qualquer ferimento mas o mastro perdeu a estabilidade e a parte superior está completamente solta e a ameaçar cair sobre o convés.

Publicidade
Publicidade

"O topo do mastro partiu-se e ficou preso apenas pelo cabo que controla a vela principal. Devido à instabilidade do restante da peça não somos capazes de subir até o 3.º vau e cortar os cabos e a vela, para cortar os cerca de 4 a 5 metros da peça que está a balançar sobre as nossas cabeças." explicou o tripulante Damian Fox, um dos navegadores veteranos a bordo.

O incidente ocorreu durante a noite enquanto o skipper francês Charles Caudrelier estava no interior da cabine juntamente com o navegador Pascal Bidegorry a estudar a rota para a passagem pelo cabo Horn, o mítico cabo a sul da América do Sul.

Com apoio do centro de controlo da regata sediada em Alicante, Espanha, das autoridades marítimas do Chile e com informações de especialistas em navegação nos mares autrais - como o veterano americano Skip Novak - a equipa segue agora para o Ushuaia, mas terá antes de atravessar o estreito de Beagle, um canal tempestuoso que separa as ilhas do arquipélago da Terra do Fogo.

Publicidade

A Volvo Ocean Race é uma exigente regata de circum-navegação para tripulações profissionais a bordo dos novos veleiros One Design VOR 65 pés. A rota teve início em Alicante (Espanha) em Outubro passado, e já registou escalas na Cidade do Cabo (África do Sul), Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos), Sanya (China), e Auckland (Nova Zelândia). A frota de seis veleiros segue agora rumo a Itajaí (Brasil), Newport (Estados Unidos), Lisboa (Portugal, em Maio próximo), Lorient (França), Haia (Holanda), e meta final em Gotemburgo, na Suécia. #Desportos Náuticos