A espontaneidade, o humor e a paixão pelo #Benfica, fazem de Paulo Parreira um dos mais célebres adeptos portugueses da atualidade. Numa entrevista exclusiva para a Blasting News, lançada em várias partes, Paulo Parreira fala de diferentes temas ligados ao #Futebol. Na 1ª parte, conta-nos a forma como vive o Benfica, desde o seu passado como atleta das camadas jovens do clube até à possibilidade de ser presidente das "Águias".

O que é ser Benfiquista?

R: Só Deus sabe o porquê de nascermos com tanto amor ao Benfica, nem eu sei o porquê de nos dias de jogo nem sequer dormir, o Benfica é realmente tudo para mim.

Como nasceu a sua paixão pelo Sport Lisboa e Benfica?

R: A paixão nasce dentro de nós e depois vai crescendo.

Publicidade
Publicidade

Há coisas que tentamos perceber mas não conseguimos. Esta é uma delas, como consigo gostar do Benfica como um filho é de loucos.

O que falhou na sua passagem enquanto atleta de futebol do Benfica?

R: A minha passagem pelo Benfica teve um revés, partir uma perna atrasou-me, mas ser campeão nacional e ganhar tudo até em torneios internacionais é de outro mundo, ficará para sempre na minha memória.

Imagine que o seu filho um dia lhe diz que é adepto de outro clube, como acha que reagia?

R: Era uma desilusão para mim, mas os princípios de vida, a educação, já dei. Este já não muda, é sócio desde que nasceu.

Qual foi a maior alegria que viveu como benfiquista?

R: A maior alegria ainda está para viver: ser campeão europeu. Tenho inveja do meu falecido pai nisso, ele teve esse prazer.

Publicidade

Quando o Benfica ganha é alegria. Mas aquele golo do Vata foi marcante.

E tristeza?

R: Sempre que o Benfica não ganha é triste, mas aquelas finais perdidas ainda me magoam, e aquele golo dos rivais no último momento tirando-nos o título, dói mais ainda.

Ser comentador desportivo, ou quem sabe até mesmo dirigente ou técnico, são uma possibilidade?

R: Como comentador não gostava, tinha de falar nos outros. Como dirigente desportivo, sim, ajudar o meu Benfica a ganhar sempre e, mais tarde, sem rodeios ser presidente do Benfica, se os benfiquistas assim o entenderem. Era a minha maior honra, ajudar o Benfica a ganhar sempre e defender os sócios. Aliás, eu sou um sócio.

Como está a sua banda Paulo Parreira e os Possuídos?

R: Nunca uma pessoa não sendo cantor tinha feito um cd ao seu clube. Demonstrei que para se fazer basta ter amor. Infelizmente, sendo produto oficial do clube nem sequer passa no Estádio da Luz. Algo vai mal com esse speaker, ou então é de eu defender o Benfica, dizendo a verdade, que, certas pessoas lá dentro não gostam.

Publicidade

Para que conste, não ganhei nada com isto. É fácil de provar no meu I.R.S. Voltava a fazer outra vez, é um orgulho.

Para o futuro, tem algum novo projeto relacionado com o futebol/Benfica?

R: Projectos não tenho, mas mal possa, e me deixem, gostava de entrar para uma direção com a qual me identifique defender o Benfica e os seu sócios. Os sócios são a coisa mais importante do Benfica, são eles que tem amor ao clube.