Chegou à Madeira no Verão de 2011 para treinar à experiência no Nacional da Madeira e nunca mais saiu. De origens humildes, Lucas João é o típico jogador que construiu (e está a construir) a sua carreira de baixo para cima. Do Beira-Mar de Almada até ao clube da Choupana, o jovem avançado esteve com um pé em Angola mas "desatou" a marcar golos na segunda metade desta época e agora está na Selecção A para defrontar Cabo Verde. Diz quem o conhece que vai agarrar a oportunidade com as duas mãos, ou neste caso, com o seu melhor pé, o direito.

Emanuel Poças foi colega de quarto de Lucas João na época 2011/2012. Chegados na mesma altura à ilha da Madeira, o actual jogador da Associação Desportiva de Castro Daire recorda os primeiros tempos do ponta-de-lança nos juniores do Nacional: "Ele vinha para treinar à experiência e ficou logo.

Publicidade
Publicidade

Lembro-me que nos primeiros dias estava naturalmente envergonhado mas depois soltou-se. É uma pessoa muito divertida, sempre na brincadeira", disse o antigo colega à Blasting News. Já no que toca às qualidades #Futebolísticas, Emanuel Poças não tem dúvidas em afirmar quais os pontos fortes de Lucas João: "Para a altura que tem [1,92m] é muito hábil. Não é normal ver um jogador tão alto com a capacidade técnica dele. É também rápido, com e sem bola, e claro sabe usar bem o porte físico. Tem uma grande presença entre os defesas."

Depois de meia temporada em que somou 10 jogos com as cores do Nacional (4 como titular) mas sem marcar qualquer golo, a saída para os angolanos do Petro de Luanda esteve por um fio, mas de um momento para o outro, Lucas João reencontrou o seu faro goleador e em apenas 8 jogos fez 6 golos (!).

Publicidade

Para Emanuel Poças, a surpresa não foi esta sequência positiva, mas sim o jejum inicial: "Para mim não é novidade. Para quem o conhece, o Lucas João é um goleador nato, estranho foi ter estado tanto tempo sem marcar", afirmou o defesa central.

Em "pulgas" para se juntar ao estágio da equipa das Quinas, tal como admitiu à comunicação social, para o ex-colega e amigo do jogador do Nacional, este vai não sentir em demasia a responsabilidade da convocatória, porque Lucas João é uma pessoa tranquila e confiante no seu talento: "Tenho a certeza que ele [Lucas João] não vai tremer. É normal que esteja ansioso, mas vai passar depressa. Depois ele tem uma forma de estar que cativa qualquer um. Vai sem responsabilidade por isso o que vier, será bem-vindo".

A torcer pelo sucesso do amigo, Emanuel Poças admitiu que nem estava a acreditar quando soube pela Blasting News que o companheiro Lucas João tinha sido chamado para a Selecção A: "Assim que soube liguei-lhe logo a dar os parabéns. Ele estava muito contente, também não estava a acreditar.

Publicidade

Eu sabia que ele tinha potencial, mas não pensei que pudesse ser já convocado. Estou muito feliz por ele", afirmou o jogador de 22 anos que deixou uma mensagem ao ponta-de- lança do Nacional: "Desejo-lhe muita sorte e que aproveite esta oportunidade e que vá sem pressão. Já lhe pedi um golinho (risos)".

Aos 21 anos Lucas João está nas nuvens, mas diz quem o conhece que assim que entrar ao "trabalho" vai descer à Terra e mostrar o porquê de estar onde está. De Almada à #Selecção, eis Lucas João. #Euro2016