Fabián Roncero garante que continua a deter a melhor marca europeia da meia-maratona, alegando que Mo Farah nasceu na Somália e, por isso, não lhe pode ser atribuído o recorde ao nível do Velho Continente. "Para mim, um atleta que nasce no Quénia é queniano toda a vida e um que nasce na Somália é somali para sempre", explicou Fabián Roncero, que celebrou a melhor marca europeia, a 1 de abril de 2001, em declarações à Agência Efe. Mo Farah venceu, neste domingo, dia 22, a Meia-Maratona de Lisboa, ao registar 59.32 minutos, menos 20 segundos do que o tempo do espanhol, numa prova com 15 mil inscritos, nova marca desta competição.

"Não podia pedir mais.

Publicidade
Publicidade

No início, estava um pouco fatigado porque não podia impor um ritmo muito elevado, mas fiz a minha própria corrida. Nos últimos cinco quilómetros estava cansado, as lebres portaram-se muito bem, tive de acreditar em mim próprio, porque já não faltava muito. Fui ultrapassando adversários pouco a pouco e, no último quilómetro, disse para mim que já faltava pouco", declarou Farah depois de cortar a meta, à frente de mais dois atletas africanos: Micah Kemboi Kogo e Stephen Kosgei Kibet, que são quenianos, ocuparam os outros lugares do pódio.

Apoios de Roncero

Roncero, de 44 anos, garante que tem o apoio de outros atletas europeus: "Todos os atletas me dizem o mesmo. Não se sentem representados por estes atletas que vêm de África. Se a minha marca é recorde continental ou não, que o digam as leis sobre as nacionalizações.

Publicidade

Fabián Roncero ostenta outras proezas na carreira como atleta, como o estatuto de campeão de Espanha da meia-maratona, vitória e o segundo lugar na Maratona de Roterdão ou o título de campeão do mundo da maratona por equipas. No crosse, foi campeão de Espanha em três ocasiões e venceu a medalha de bronze no Challenger Europeu.

Tragédia em Lisboa

A última edição da meia-maratona de Lisboa foi marcada, também, pela morte de um atleta de origem alemã, depois de ter sido transportado para o Hospital Francisco Xavier, alegadamente por problemas cardíacos. #Atletismo