Não é segredo nenhum que Florentino Pérez quer que Zinedine Zidane seja o próximo treinador do Real Madrid. Aliás, diz-se na capital espanhola, que só a vitória na Liga dos Campeões na época passada fez com que Carlo Ancelotti tenha continuado no banco "merengue" esta temporada. O plano presidencial foi adiado por um ano, mas não esquecido. E pode até ser antecipado se o Real não ganhar em Barcelona no próximo dia 22. Se isso acontecer, Fernando Hierro pode tomar as rédeas da equipa até ao fim da temporada, passando depois o testemunho a Zidane.

A derrota em San Mamés no passado fim-de-semana e a consequente perda da liderança na Liga para o eterno rival desatou uma crise em toda a linha no Santiago Bernabéu.

Publicidade
Publicidade

Apesar de tudo, o presidente optou por manter a calma e evitar meter mais lenha na fogueira desta crise, ao contrário do que aconteceu, por exemplo, quando CR7 e companhia saíram do Vicente Calderón com uma pesada goleada (4-0) imposta pelo Atlético Madrid. Nessa altura, rezam as crónicas, Florentino Pérez teve um discurso bastante duro para a equipa e o treinador, exigindo o regresso das boas exibições que o conjunto tinha apresentado antes da paragem natalícia, manter a liderança e ganhar o próximo clássico. As duas primeiras não se concretizaram e a terceira veremos.

Agora o responsável máximo pelo clube campeão europeu preferiu enviar mensagens de tranquilidade, de apoio a Ancelotti e aos jogadores, mas isso não significa que não esteja preocupado ou chateado. Aliás, de acordo com o Mundo Deportivo, o jogo com o Barça será decisivo para o que falta da temporada.

Publicidade

Se o Real Madrid cair em Camp Nou, e principalmente se cair com estrondo, o futuro do técnico italiano ficará muito comprometido. Perder para o arquirrival e dizer praticamente adeus à Liga seria um golpe quase definitivo na continuidade de Carletto em Chamartín. Há mesmo quem garanta que, mais uma vez, só a vitória na Champions o poderá salvar. Nem mesmo a conquista do campeonato espanhol será suficiente para garantir a permanência em Madrid.

Consta-se que Florentino já tem opções para o resto da época no caso de Ancelotti ser despedido. Mais: o dirigente trabalha já a pensar na próxima campanha, com a ausência quase garantida do treinador transalpino. Fernando Hierro, adjunto de Ancelotti, seria o escolhido para orientar a equipa até ao final da temporada e Zidane tomaria a rédeas a partir do dia 30 de Junho. O presidente tem fé total no francês e quer que ele seja o Guardiola do Real. As tréguas no clube branco duram até 22 de março. #Futebol