A Ginástica aeróbica está a crescer em números de participantes a cada ano, porém é preciso fazer mais para que  a disciplina seja tão conhecida a nível nacional como é o futebol. "Para isso é preciso uma maior divulgação, organizar mais eventos, haver mais formações e dinamizar a modalidade no país para que se desenvolva ainda mais", explica João Baptista de 28 anos, ex-ginasta e atual treinador do Clube Gymnix de Águeda. Com amor à camisola, João desloca-se de Lisboa todas as semanas, para ensinar os ginastas  que já ficam na porta do Clube à sua espera. É o que podemos definir de paixão pelo desporto.

Publicidade
Publicidade

 João faz por merecer, sendo atencioso e transmitindo disciplina, rigor e motivação aos atletas. Para um melhor desenvolvimento dos ginastas, ele conta com o apoio da diretora e delegada do clube, Clara Liberal,  e da preparadora física Carla Leite.

Quando se iniciou na ginástica, João tinha apenas 11 anos e esteve na seleção nacional durante cinco épocas. Conquistou o Campeonato Distrital em 2009 e também nesse ano obteve o 4º lugar no Open da França e a 4ª posição da Taça Latina. Na altura havia um pouco de discriminação da prática de aeróbica por rapazes, o que hoje já não acontece. Os movimentos eram mais lentos e o tempo da música era maior. Contudo, as mudanças surgiram para melhorar o nível e a qualidade da modalidade. Um exemplo foi a inclusão no novo código de movimentos acrobáticos na coreografia.

Publicidade

 A  disciplina promove a alegria e define-se como uma ginástica ritmada com música, na qual o atleta  realiza sequências de oito  passos básicos da aeróbica com elementos de dificuldade. O desempenho deve ser dinâmico e com rotinas de grande intensidade. Durante os treinos o ginasta desenvolve a flexibilidade, o equilíbrio, a resistência, a força e a concentração. 

Este ano a Aeróbica deu um grande avanço com a realização da 2ª Taça do Mundo e o 5º Open Internacional de Cantanhede. Organizada pela Federação de Ginástica de Portugal e pela Academia local, contou com 197 ginastas (115 portugueses  e 82 estrangeiros). Além de Portugal, estiveram presentes  Áustria, Bulgária, China, Espanha, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Hungria, Japão, México e Rússia.

Portugal foi representado no Open por seis clubes: a  ACG de Cantanhede, o All4gym e o Gymnix (ambos de Águeda), a CAGPD, dos Açores, o C.U.A.B,  de Benavente, a FAPEELC, de  Loulé e o MGBOOS, de Quinta do Conde (Sesimbra). Segundo informou  João Dias, presidente da Organização e da Academia CantanhedeGym, "este evento é dirigido aos escalões juvenil, júnior e sénior e aberto a todos os ginastas com capacidade técnicas para provas internacionais".

Publicidade

Os campeonatos constituem uma grande oportunidade, não só para a disciplina como para a cidade e o país se promoverem. E  foi o que aconteceu em Cantanhede que, com uma excelente organização, repetiu o sucesso anterior e conquistou um lugar no calendário Mundial da Aeróbica. Entretanto, são necessários mais praticantes inscritos para contribuir para o crescimento e o acesso da Aeróbica  num campeonato com a dimensão dos  Jogos Olímpicos. Quem pretender mais informações sobre a modalidade, pode contatar a Federação de Ginástica de Portugal.