O costa-marfinense Salomon Kalou, futebolista do Hertha BSC, meteu-se numa grande alhada fora das quatro linhas. Num programa de televisão que servia de antevisão ao duelo deste sábado, dia 14, entre o Hertha e o Schalke 04 (e que acabou com um resultado de 2-2), foi exibido um vídeo em que o avançado parece danificar a parede da famosa East Side Gallery, uma das raras partes que restam do Muro de Berlim e que serve agora como galeria de arte urbana. A ideia partiu dos produtores do canal ARD mas, se for provado que Kalou efectivamente vandalizou o monumento, este deve enfrentar a justiça e uma multa pesada por danos ao património alemão.

O vídeo com o ex-jogador do Chelsea, que aparece munido com um martelo e um cinzel, terá sido realizado ainda em 2014.

Publicidade
Publicidade

O avançado de 29 anos é filmado a martelar a parede, parecendo partir pedaços do muro edificado em 1961 e que havia de cair em 1989. A sugestão partiu dos produtores do Sportschau, magazine de #Futebol do canal ARD, na tentativa de ilustrar a tarefa de Kalou para o jogo de sábado: furar a muralha defensiva do Schalke 04.

Agora público, o vídeo foi também exibido no estádio durante o aquecimento das equipas e tem gerado várias reacções indignadas. O director da East Side Gallery, Kani Alavi, disse ao diário Berliner Kurier que "quase caiu da cadeira" quando viu as filmagens. "Vemos uma celebridade bem paga a aumentar o seu valor de mercado à custa de um monumento nacional, sem respeito e com o apoio da televisão", afirmou. O responsável pela galeria já apresentou queixa às autoridades alemãs, que estão a investigar a ocorrência para aferir se a acção do jogador provocou danos efectivos.

Publicidade

Caso isso se confirme, Salomon Kalou deve pagar uma multa na ordem dos 10 mil euros.

A East Side Gallery é uma das poucas partes que restam do histórico Muro de Berlim, estrutura que dividiu a capital, a Alemanha e a Europa durante quase trinta anos. Com cerca de 1,3 quilómetros de extensão, serve de tela a 105 graffitis e murais de diferentes artistas e é anualmente visitada por milhares de turistas. É considerada a mais duradoura exposição ao ar livre do mundo. "Só porque não há segurança na zona, não podem andar a fazer o que lhes apetece. Se isto tivesse acontecido no Portão de Brandemburgo, ele teria sido imediatamente preso", concluiu Kani Alavi.