Foi com a lucidez que lhe é comum que Marco Silva analisou a vitória do Sporting por 3-2 frente ao Penafiel. O treinador leonino considerou justo o triunfo verde e branco, num jogo em que ocorreram três expulsões. O timoneiro de 37 anos lamentou, no entanto, as críticas de Rui Quinta que se queixou da arbitragem de Bruno Esteves. Para o técnico dos leões "ou se fala sempre ou não se fala", numa clara alusão ao jogo de #Futebol entre Penafiel e FC Porto, em que os penafidelenses tiveram razões que queixa, mas nada disseram.

Admitindo que admira o treinador do emblema nortenho, considerando-se amigo de Rui Quinta, o líder dos leões não se escusou de criticar a postura do técnico adversário: "Não me lembro de [Rui Quinta] ter falado de arbitragens após outros jogos em que foram prejudicados", disse Marco Silva na sala de imprensa.

Publicidade
Publicidade

O treinador do #Sporting considerou que Tobias Figueiredo foi bem expulso e que Dani do Penafiel viu, pelo contrário, de forma errada o cartão vermelho. Numa partida em que o Sporting jogou com 10 unidades desde os 11 minutos de jogo, o técnico dos verde e brancos nunca duvidou a justiça do triunfo da sua equipa que chegou a ver a sua vantagem de 2-0 ser anulada para um empate a duas bolas, ainda antes do intervalo.

No entanto, Nani voltou a chamar para si a responsabilidade e acabou por resolver o jogo para o Sporting, apontando o 3-2 aos 70 minutos, carimbando o regresso aos triunfos dos leões. Com esta vitória o emblema de Alvalade voltou a ampliar para 4 os pontos de vantagem para o Sporting de Braga, na luta pelo terceiro lugar do campeonato. Depois da pesada derrota por 3-0 no Estádio do Dragão frente ao FC Porto, Marco Silva sublinhou a importância do regresso às vitórias, admitindo que a juventude do plantel leonino devido aos recentes maus resultados na Liga Europa e no campeonato deixaram uma natural insegurança nos jogadores.

Publicidade

Marco Silva abordou ainda as 10 expulsões que o Sporting já registou esta temporada, considerando que é claramente exagerada a quantidade de jogos em que os leões não terminaram com 11 jogadores.