Os números não mentem e demonstram, claramente, que #Cristiano Ronaldo não é, em 2014, o mesmo que conquistou a Bola de Ouro no passado. O craque português atravessa uma crise desde o início do ano e a sua produção, no que a número de golos diz respeito, baixou quase para metade: nos 26 jogos oficiais da época 2014-2015 que se disputaram até final de Dezembro último, marcou 31 golos (1,19 por jogo), enquanto, este ano, marcou "apenas" nove em 14 encontros (média de 0,64). Desceu a produção e, naturalmente, aumentou o número de jogos em branco. Se, em 2014, o avançado só não facturou contra o Atlético (na Supertaça de Espanha), Cruz Azul e San Lorenzo (no Mundial de Clubes) e Málaga (Liga), em 2015 foram já vários os desafios sem marcar: Atlético (duas vezes), Espanyol, Córdoba, Deportivo, Athletic e Levante.

Publicidade
Publicidade

Com tudo isto, o português, que chegou a ter 11 golos de vantagem sobre Messi na lista dos melhores marcadores, chega a Camp Nou com menos dois golos que o grande rival (CR7 tem 30 e La Pulga 32) e terá de começar em campo inimigo a recuperar terreno neste duelo particular. Toda esta situação tem deixado o jogador visivelmente nervoso, como se viu no último jogo. Muita tinta tem corrido em Espanha sobre a reacção de CR7 ao primeiro golo de Bale no último jogo, contra o Levante. O remate do galês surgiu na recarga a uma tentativa do madeirense, cortada em cima da linha por um defesa, e o melhor do mundo não festejou, tendo antes ficado a lamentar que o seu remate não tenha entrado. Esse gesto e uma palavra menos bonita dirigida às bancadas, quando se ouviam alguns assobios dirigidos à estrela merengue, deram azo a todo o tipo de crónicas.

Publicidade

Aliás, os meios catalães, sempre de garras afiadas contra Ronaldo, acusam mesmo o capitão da selecção nacional de ser o responsável pela animosidade do público do Santiago Bernabéu em relação ao ex-jogador do Tottenham e não lhe poupam críticas. No Mundo Deportivo escrevem mesmo que "Ronaldo demonstrou, uma vez mais, ser um egoísta consumado". Para aqueles que, como eu, são fãs de Cristiano, resta esperar que, como sempre aconteceu até aqui, o avançado regresse mais forte que nunca e cale algumas bocas. #Futebol