A capital Lisboeta recebe os interessados pela modalidade de atletismo na meia maratona de Lisboa EDP, na mini maratona Vodafone e na corrida profissional de cadeira de rodas CTT durante a manhã deste domingo, dia 22. Este ano, ao contrário dos anteriores, as inscrições ascendem acima das 40.000 pessoas no total das provas ao longo do fim-de-semana. Os números falam por si, a meia maratona internacional de Lisboa, organizada pelo Maratona Clube de Portugal, agendada para as 10h30, conta com 15.000 atletas, enquanto em simultâneo a mini aponta para uma estimativa de 35.000 participações. O convívio move pessoas de diversos pontos do país rumo à aventura.

Publicidade
Publicidade

O Comando Metropolitano de Lisboa, dada a magnitude da iniciativa, em comunicado, alerta para o congestionamento e encerramento de vias de acesso e da própria Ponte 25 de Abril ao trânsito. Existirão elementos da polícia a "proceder ao desvio do trânsito, informando alternativas dos condutores", acrescenta o mesmo documento da PSP.

O campeão europeu, olímpico e mundial Mo Farah é um dos atletas internacionais que marca presença na competição (21,097 km), que tem partida na zona da portagem da ponte com destino à meta no Mosteiro dos Jerónimos. O prémio simbólico é uma medalha comemorativa para quem termine a prova. O percurso da mini maratona, por sua vez, é de 7 km. A componente da etapa das cadeiras de roda, para atletas com deficiência motora, tem o seu início não sobre o Tejo, mas em Algés e ruma a Belém.

Publicidade

"As nossas melhores expectativas têm sido superadas", apontam as declarações da organização através de Carlos Moía, Presidente do Maratona Clube de Portugal

No sábado, dia 21, decorreu um treino pedestre de última hora no estádio do Jamor com destino à meta no Mosteiro dos Jerónimos, com uma distância tanto ou quanto semelhante aos cerca de 7km desta manhã. A corrida Vitalis da amizade terminou na componente sénior masculinos com Hélio Gomes como 1º classificado, com 00:23:09, seguido por Pedro Cruz, a 00:25:31, e João Ferreira, a 00:25:33, no mesmo escalão. Em femininos, os resultados por ordem decrescente, foram Wioleta Franczyk da Polónia com 00:32:26, logo a baixo a portuguesa Catarina Ferreira, com 00:32:50 e Cátia Nascimento, com 00:32:54. Existiu ainda o passeio mimosa avós e netos e a Mini Campeões para os mais pequenos.

Reza a história que a 17 de Março de 1991 se tornou oficial este género de eventos devido ao longo caminho burocrático desde Mário Soares até Ferreira do Amaral.

Publicidade

Na origem esteve um grupo de curiosos à mesa de um restaurante, que também aspiravam atravessar a pé a ponte forte, imponente e de aço maciço de nome 25 de Abril. A atleta Rosa Mota foi a cabeça de cartaz da primeira travessia. Nos últimos anos, a novidade conquistou os portugueses e estrangeiros e de ano para ano o número de inscrições e acompanhantes aumentam. Nesta prova já passaram inúmeras figuras públicas como primeiros-ministros, recordistas, treinadores, campeões ou meros desconhecidos, com intuito de atravessarem a ponte a pé. #Atletismo