José Mourinho é um ídolo no Chelsea e tem protagonizado proezas notáveis, como a conquista de duas Premiere Leagues, mas, em quase seis épocas completas como treinador, não conseguiu conquistar o título de campeão europeu ao serviço dos "blues", nem sequer disputar a final de uma das competições mais importantes do mundo.

Perspectivava-se que, pelo menos, a presença nos quartos-de-final estaria bem encaminhada, mas o Paris Saint-Germain, mesmo reduzido a dez jogadores, impediu o notável treinador português de lutar novamente pelo título de campeão europeu, algo que conseguiu, pela primeira vez, em representação do FC Porto, em 2003/2004, antes de ingressar nos londrinos, e repetiu em 2009/2010, ao serviço do Inter Milão.

Publicidade
Publicidade

"O PSG foi melhor e mais forte do que nós", revelou José Mourinho no final da partida disputada com os franceses.

Como treinador do Chelsea, José Mourinho não conseguiu mais do que presenças em duas meias-finais, em 2004/2005 e 2006/2007, mas, em ambos os casos, foi eliminado pelo Liverpool. Na temporada seguinte, os londrinos já eram treinados por Avram Grant quando atingiram a final, perdida diante do Manchester United, equipa que contou com Cristiano Ronaldo e Nani.

Sempre com a Liga dos Campeões Europeus no horizonte, o Chelsea voltou a apostar em José Mourinho, em 2013/2014, mas, novamente, foi afastado nas meias-finais, desta vez perante o Atlético de Madrid, com outro português, neste caso Tiago a "tramar" Mourinho.

Entre os dois períodos de José Mourinho como treinador principal dos "blues", o Chelsea, treinado por Di Matteo, foi campeão europeu, em 2012, depois de derrotar o Bayern Munique, nas grandes penalidades.

Publicidade

Hilário, Paulo Ferreira, Bosingwa e Raúl Meireles festejaram, ao contrário do compatriota, a histórica vitória, na sequência do penálti decisivo apontado por Drogba.

Críticas pesadas

A Imprensa londrina tem tecido, entretanto, duras críticas a José Mourinho e aos jogadores, acusando-os de serem "Os Miseráveis", numa comparação com a obra de Vítor Hugo. #Futebol