Novo jogo, nova confusão. O treinador português do Olympiacos, Vítor Pereira, parece ter o condão de provocar os adeptos adversários. Depois de há duas semanas se envolver com adeptos do Panathinaikos, agora foi a vez do AEK, em jogo da taça grega. Uma nova invasão de campo foi o resultado das provocações de Pereira.

A controvérsia estalou ontem, num jogo da Taça da Grécia, com outro rival de Atenas, o AEK. Um dérbi igualmente escaldante, que não poucas vezes descamba em violência. Como tal, seria recomendável ter calma e tomar decisões ponderadas. Mas Vítor Pereira não acha. O ex-treinador do F.C. Porto saiu do banco em direção a Jara, o argentino que acabara de marcar o golo que dava o seu apuramento para as meias- finais, quando faltavam apenas dois minutos para o fim do jogo, já que na primeira mão o resultado foi 1-1.

Publicidade
Publicidade

Os adeptos do AEK não estiveram pelos ajustes e entenderam a correria de Pereira como provocação.

Pereira justificou-se com o entusiasmo e que tinha de festejar junto da equipa, mas negou querer provocar os adeptos adversários. No entanto, a cena foi um rastilho e rapidamente muitos adeptos do AEK invadiram o relvado. Perante a agressividade dos espetadores, todos os elementos das equipas recolheram aos balneários, com Vítor Pereira à cabeça. O árbitro interrompeu o jogo, que não mais voltaria a reiniciar-se, o que traz novas complicações para o #Futebol da Grécia, que esteve há escassos dias suspenso.

De recordar que o treinador português Vítor Pereira já havia fugido do relvado na sequência de uma invasão de campo dos adeptos do Panathinaikos, quando se dirigiu a uma das balizas para cumprir uma alegada superstição.

Publicidade

O que é facto é que a atitude de Pereira viria a despoletar a ira dos adeptos da equipa da casa, que lançaram petardos e tochas para a zona onde estava o técnico, obrigando-o a fugir para os balneários.

O ex-técnico portista conta também com alguns episódios hilariantes na sua experiência como treinador no estrangeiro, como é o caso da conferência de imprensa em que se "pegou" com jornalistas na Arábia Saudita.