O Académico de Viseu carimbou este domingo o regresso às vitórias depois de receber e bater a Oliveirense por 1-0. Numa partida de importância vital para os forasteiros, o domínio foi quase total dos viseenses, que só se podem queixar de si próprios por não terem marcado mais golos. Num jogo em que o guarda-redes João Pinho e a falta de eficácia dos homens de Ricardo Chéu mantiveram a vantagem mínima até o fim, valeu o oportunismo de João Amorim, que foi à frente mostrar como se fazem golos. Com esta derrota, a equipa de Oliveira de Azeméis aumenta para cinco a série de jogos sem vencer e fica cada vez mais longe dos postos de subida.

Com baixas de parte a parte, ressentiu-se mais a turma de Artur Marques, que entrou no Estádio do Fontelo sem quatro habituais titulares, todos a cumprir castigo.

Publicidade
Publicidade

Já do lado academista, o patrão da defesa Eridson, também castigado, e o lesionado Fábio Martins ficaram na bancada. Mas cedo se viu o que a partida iria dar: um Académico mandão (por vezes atabalhoado) no jogo e a Oliveirense a apostar no jogo directo à procura dos quase 2 metros de Yero. Quando aos 24 minutos João Amorim apareceu na área e com um remate seco e cruzado fez o 1-0, já toda a plateia do Fontelo ansiava por saltar das cadeiras, dado o assédio dos homens da casa à baliza de João Pinho. O guardião da equipa forasteira mostrou este domingo em Viseu as razões de ser considerado um dos melhores no seu posto na Segunda Liga. O expoente máximo aconteceu quando, à passagem dos 35 minutos, evitou por duas vezes na mesma jogada que a bola entrasse na sua baliza. Já do lado da turma de Artur Marques, apenas há a assinalar uma oportunidade bem defendida por Ivo Gonçalves, numa ocasião em que Yero não conseguiu bater o keeper academista.

Publicidade

Apesar da entrada ao intervalo de Carlitos para dar maior vivacidade na frente de ataque, era do outro lado que a acção morava, com Luisinho a falhar um golo que merecia melhor desfecho, depois de uma excelente combinação entre André Sousa e Tiago Almeida. Com o passar do tempo a Oliveirense começou a "apertar" mais a defensiva do Académico, mas conseguiu estar perto do golo do empate apenas aos 59 minutos, quando o gigante Yero cabeceou colocado, mas com Ivo Gonçalves a voar para segurar a vantagem mínima. A última meia hora foi jogada com ataques descontrolados pelos homens da Oliveirense e com a turma de Viseu a saber gerir bem a posse e os momentos do jogo.

Fica para a história o regresso aos triunfos do Académico, que soma agora 42 pontos, menos 6 agora do que a Oliveirense, e que está cada vez mais longe do comboio que têm como destino a Primeira Liga do #Futebol português. Numa tarde de desacerto atacante, valeu aos de Viseu o lateral João Amorim, que fez do seu lado uma autêntica auto-estrada com via aberta para o golo que deu os 3 pontos à equipa da cidade de Viriato.