O Feirense recebeu e venceu este domingo o Académico de Viseu por 3-0. Num jogo que colocava frente a frente duas equipas em fases completamente distintas da temporada, a turma de Santa Maria da Feira tentava arrancar para o quarto triunfo seguido, enquanto que os viseenses queriam regressar às vitórias fora de portas. Apesar dos primeiros dez minutos terem sido de pressão academista, o que originou mesmo três oportunidades claras de golo, foram os da casa que na primeira vez que subiram ao ataque inauguraram o marcador. A partir do 15º minuto o jogo ficou "resolvido", porque os forasteiros não mais se encontraram e o Feirense soube gerir e ampliar o marcador a seu belo prazer.

Publicidade
Publicidade

Os primeiros dez minutos pertenceram mesmo na totalidade aos homens de Ricardo Chéu; mais pressionantes e com rápidas trocas de bola, os viseenses desperdiçaram três grandes hipóteses de inaugurar o marcador. Por duas vezes Makaridze brilhou com boas defesas, e na terceira o capitão Tiago Gonçalves acertou, de cabeça, na barra da baliza do Feirense. Mas seria "sol de pouca dura" visto que à passagem do minuto 15, e na sequência de um pontapé de canto, Luiz Phellype inaugurou o marcador no Estádio Marcolino Castro. Num lance em que apareceu liberto de marcação, o avançado brasileiro fez a dois tempos o primeiro golo da tarde, depois de Ivo Gonçalves ainda ter defendido para a frente.

Em desvantagem no marcador, o Académico perdeu o "tino" ao jogo e só não sofreu logo de seguida novo golo, porque o seu guardião evitou com uma grande defesa aquele que seria o 2-0.

Publicidade

Até ao final da primeira parte, nunca mais se viu a turma de Ricardo Chéu a chegar à frente com perigo, apesar de ter "forçado" nos derradeiros minutos antes do intervalo. O segundo tempo trouxe o segundo tento do Feirense. Logo no minuto 54, e novamente na sequência de um pontapé de canto, Gonçalo Abreu, no segundo poste, assistiu de cabeça Tonel, que na boca da baliza só teve de confirmar o segundo tento dos homens orientados por Pedro Miguel.

O Académico voltava a sentir em demasia o peso de um novo golo, e apenas a espaços conseguia servir os homens da frente. Já do lado do Feirense, ficava a clara sensação que se jogava de forma pensada e com conhecimento de causa das fragilidades defensivas do adversário. A inexistência ofensiva academista resume-se ao primeiro remate à baliza na segunda parte, que ocorreu somente ao minuto 25 por Luisinho. No entanto, o Feirense foi refrescando a equipa e já depois de Ivo Gonçalves ter evitado por mais de uma vez novo golo fogaceiro, foi incapaz de parar Luiz Phellype que, num bonito gesto, fez de chapéu aos 83 minutos o 3-0 final.

Publicidade

Num resultado que não merece contestação e que até podia ter assumido números mais volumosos, o Feirense foi eficaz depois de uma entrada melhor e mais forte do Académico, controlando a seu belo prazer o andamento da partida. Com este triunfo, os homens de Santa Maria da Feira carimbaram a quarta vitória consecutiva, o que os deixa a quatro pontos dos terceiros classificados (Benfica B e Sporting B), tendo a equipa fogaceira menos um jogo realizado. Já o Académico somou nova derrota fora de portas, onde já não vence desde 1 de Fevereiro. #Futebol