Naquele que foi o último teste antes da fase final do Campeonato Europeu de 2015, a #Selecção portuguesa de sub-21 visitou Praga, onde acabou por perder com a nação organizadora da competição, a República Checa, por 1-0 (grande penalidade convertida por Skalak aos 72). Depois da exibição cinzenta frente à Dinamarca, os comandados de Rui Jorge voltaram a ser a melhor equipa em campo, mas entre o desperdício, as bolas no poste, um golo que a equipa de arbitragem não viu e uma falha defensiva que originou um penalty cometido pelo guarda-redes, saíram derrotados da Eden Arena, que em Julho será o palco da final da competição onde Portugal defronta Inglaterra, Itália e Suécia.

Publicidade
Publicidade

Privado dos habituais titulares Paulo Oliveira, Bernardo Silva e Ivan Cavaleiro - convocados por Fernando Santos para o particular da selecção principal contra Cabo Verde -, Rui Jorge fez alinhar um 4-4-2 móvel constituído por alguns jogadores menos utilizados (nenhum dos titulares tinha mais do que 10 partidas ao serviço dos sub-21). Os primeiros 45 minutos foram bem disputados, com Portugal a aplicar uma pressão alta e a Répública Checa a tentar explorar o contra-ataque. Construindo quase sempre os seus ataques da esquerda para o centro, os portugueses estiveram muito perto do golo à passagem do quarto de hora.

Primeiro, um remate de Bruno Fernandes (um dos convocados depois do particular com os dinamarqueses) desviou num defesa e obrigou o guarda-redes checo a defesa complicada.

Publicidade

Logo a seguir, a barra evitou o primeiro golo, ao travar um disparo em arco de João Cancelo (que no primeiro tempo actuou como lateral esquerdo). Depois do susto inicial, a Rep. Checa reagiu, com Prykril - elemento checo em maior evidência no primeiro tempo - perto do golo por duas vezes. Pouco antes do intervalo, Bruma saiu lesionado e deu o lugar a Iuri Medeiros. Na primeira vez que tocou na bola, o jogador emprestado pelo Sporting ao Arouca desferiu um potente remate de fora da área, com o esférico a desviar na trave e a ultrapassar a linha de baliza, ressaltando depois novamente para a área. A trajectória da bola enganou a equipa de arbitragem, que não validou o grande golo do açoriano.

O segundo tempo começou com oportunidades para os dois lados, já com Rafa Soares e Rony Lopes entre os onze portugueses. O primeiro sinal de perigo pertenceu ao checo Jugas, que rematou fraco em boa posição, com Iuri Medeiros a responder aos 52' com um disparo que passou perto do poste esquerdo de Koubek.

Publicidade

Foi também dos pés de Iuri que surgiu a oportunidade mais flagrante do segundo tempo, num cruzamento que encontrou Rony Lopes sozinho na pequena área, com o luso-brasileiro a atirar à barra. Pese a superioridade lusa, Houska conseguiu arrancar um penalty, cometido por Daniel Fernandes à entrada para os últimos 20 minutos. Na conversão do castigo máximo, Skalak fez o primeiro.

Os portugueses tentaram correr atrás do prejuízo, mas não conseguiram criar problemas à defensiva checa até ao final da partida. Mais uma vez, e pese o golo que não foi assinalado, os jovens portugueses só se podem queixar de si próprios por não terem conseguido alcançar um resultado positivo, pois dispuseram de várias ocasiões para marcar.

Ficha de jogo:

Eden Arena, Praga, República Checa

Rep. Checa 1 - 0 Portugal

Golos: Skalak (aos 72, de grande penalidade)

República Checa: Koubek, Jugas, Baranek, Brabec, Hybs, Zmrhal (Frydek), Masopust (Skalak), Tacaks (Petrak), Prykril (Kalas), Hruby (Travnik) e Vydra (Houska)

Seleccionador: Jakub Duvalil

Portugal: Daniel Fernandes, Ricardo Esgaio (Rafa Soares), Tobias Figueiredo, Tiago Ilori, João Cancelo, Rúben Neves, Rúben Pinto(C) (Sérgio Oliveira), Bruno Fernandes (João Teixeira), Tozé (Rony Lopes), Bruma (Iuri Medeiros) e Ricardo Horta (Carlos Mané)

Seleccionador: Rui Jorge

Árbitro: Jan Valasek #Futebol