A notícia caiu como uma bomba, durante esta tarde, após o programa de informação desportivo da Rádio Renascença, "Bola Branca", ter dado eco à decisão da grande maioria dos árbitros dos campeonatos profissionais, de boicotarem as últimas 5 jornadas da I e da II Liga, não comparecendo aos jogos para onde serão escalados.

Um grupo composto por quase todos os árbitros registados na Associação Portuguesa de Árbitros de #Futebol (APAF) entregou esta tarde um requerimento ao Conselho de Arbitragem (CA) onde pedem dispensa das últimas 5 jornadas, por falta de pagamento sobre compromissos publicitários. Os árbitros reclamam o pagamento de uma dívida que se tem vindo a acumular ao longo da época, por parte da Liga de Clubes, referente ao patrocinador principal deste organismo, o qual, segundo o grupo de árbitros, nunca honrou os compromissos publicitários com os árbitros, que terão direito a uma percentagem do valor cedido pelo patrocinador principal, sendo que exibem o logótipo no equipamento de árbitro.

Publicidade
Publicidade

O presidente da Liga de Clubes, Luís Duque, tem mantido um braço de ferro com os árbitros, segundo apurou o serviço informativo do mesmo programa radiofónico, o que levou a que estes tomassem esta atitude. Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, tem mediado este assunto. Caso os árbitros não tomem a decisão de voltar atrás na greve apresentada hoje, e até ao início das últimas 5 jornadas do campeonato, o presidente do CA, Vítor Pereira, poderá ter de recorrer a árbitros internacionais, ou em última instância, a árbitros de segunda linha, que apitam normalmente nos campeonatos distritais e regionais, sendo que essa é uma opção que o presidente do CA não descarta.

O jogo Benfica - Porto, da 30ª jornada, que se realiza no último fim-de-semana de abril, poderá estar assim em risco de ser realizado, ou no mínimo, e caso este impasse se mantenha, de ter um árbitro internacional com o encargo de ajuizar a partida que poderá decidir o título de campeão nacional da temporada 2014/15.

Publicidade