Hoje vive-se um dia negro para o #Futebol. As marcas nas janelas e os vidros partidos são a prova de que foram disparados tiros contra a equipa do Fenerbahçe. Tanto os jogadores como a equipa técnica escaparam sem qualquer ferimento e o motorista ainda chegou a sair pelo próprio pé, depois de ter conseguido parar o veículo em segurança. Contudo, este último sofreu alguns ferimentos e acabou por ser levado para o hospital. A bordo deste autocarro viveram-se momentos de grande tensão.

Alguns dos jogadores consideram que, por momentos, "anteviram a sua morte", pelo que veem o rescaldo deste incidente como um momento de sorte.

Publicidade
Publicidade

Mehmet Topal, em entrevista, disse que agora é o momento de se recomporem e de rezarem para que o motorista fique bem. O veículo foi atacado numa autoestrada a nordeste da Turquia depois de uma expressiva vitória por 5-1 frente aos rivais do Rizespor.

Para o vice-presidente do Fenerhaçe, Mahmut Uslu, o ataque tinha um objetivo: destruir toda a equipa. Uslu considera o que se sucedeu no autocarro da equipa do Fenerbahçe não se tratou de um mero acidente, pretendia matar ou ferir gravemente o motorista, visto que mais nenhum membro sofreu qualquer dano físico. Uslu reforçou ainda que, apesar de nenhum jogador ter sido atingido, o autor deste incidente pretendia matar toda a equipa do Fenerbahçe.

Para contextualizar a sua tese, Mahmut Uslu esclarece que no momento em que o autocarro foi atingido estava a passar por um viaduto, pelo que se pensa que esta foi uma tentativa de o veículo se despistar, provocando a morte de todos os tripulantes.

Publicidade

Após este acidente, à chegada ao aeroporto de Istambul, uma grande multidão esperava os jogadores. Raul Meireles não foi convocado para o jogo deste sábado e, por isso, não estava no autocarro mas foi ao aeroporto receber o compatriota Bruno Alves, que escapou ileso, tal como o resto da equipa. Em comunicado, a federação de futebol turca condena o ataque e promete levar os culpados à justiça. Já o Presidente da Turquia, adepto do Fenerbahçe, pediu ao governador local para o informar da investigação em curso.