Foram dois os minutos que fizeram a história do duelo entre Barcelona e Valência, o primeiro (1') e o último (93'). Numa das partidas mais complicadas para os catalães até ao fim da liga, os Che pecaram em demasia na finalização, tendo inclusive desperdiçado um penálti, saindo naturalmente prejudicados de Camp Nou. A equipa de Nuno Espírito Santo mostrou o porquê de estar na luta pelos lugares de acesso à Champions, mas, do outro lado, os astros da frente fizeram toda a diferença. Suárez a abrir e Messi a fechar trataram do guião deste encontro, que, assim, mantém o Barcelona na liderança do campeonato espanhol.

Depois do importante triunfo a meio da semana em Paris, o Barcelona entrava em campo ciente da importância de não perder pontos perante um Valência que há muito vem mostrando que merece estar no top-4 da Liga espanhola.

Publicidade
Publicidade

Com um Camp Nou a rebentar pelas costuras, os pupilos de Luis Enrique não fizeram por menos e logo ao minuto 1 inauguraram o marcador. Jogada de ataque pela direita, com Messi a servir Luis Suárez em bandeja de ouro, que na cara de Diego Alves fez o 1-0 para os Culés. No entanto, o Valência reagiu muito bem, André Gomes, que esteve no onze inicial, aos 10 minutos teve uma oportunidade soberana para empatar. Piqué carregou em falta o ex-Benfiquista Rodrigo dentro da área, mas da marca dos 11 metros Parejo tremeu e rematou denunciado para a defesa de Claudio Bravo. Apesar do penálti falhado, os pupilos de Nuno Espírito Santo não baixaram os braços e voltaram a estar perto do empate quando Paco Alcácer recebeu à entrada da área e à meia volta rematou para o poste direito de Bravo, que nem se mexeu.

Publicidade

Com mais frescura física pela procura da bola, o Valência continuava a ameaçar o golo, acabando por ter sorte ainda antes do intervalo, quando Messi fez o que raramente costuma fazer: falhar um golo de baliza aberta.

A segunda parte trouxe um Valência com menos intensidade e sem a mesma capacidade atacante, o que se traduziu num jogo mais controlado por parte do Barcelona, que voltou a ver Messi a falhar, desta feita num livre tão bem apontado que acertou em cheio na baliza de Diego Alves. Nuno Espírito Santo apostou em João Cancelo para os derradeiros 25 minutos para dar maior frescura ao flanco, mas a equipa Che acabou por morrer na praia, quando, aos 93 minutos, um contra ataque de Messi, que correu desde a linha do meio-campo isolado, fechou as contas da partida, marcando o 2-0 final.

Com este triunfo, o Barcelona ultrapassa mais um difícil obstáculo na corrida ao título, mantendo a distância de dois pontos relativamente ao Real Madrid, que este sábado também venceu o Málaga por 3-1, com golos de Sérgio Ramos, James Rodriguez e Cristiano Ronaldo. #Futebol