O Presidente decidiu, está decidido. O plantel profissional do #Benfica na próxima temporada vai contar obrigatoriamente com pelo menos seis jogadores oriundos da formação do clube encarnado. Numa clara aposta na "prata da casa", Luís Filipe Vieira já informou o actual técnico desta "regra" para a época 2015/2016. Mesmo ainda não sendo certo a continuidade de Jorge Jesus (JJ) ao leme das águias, uma coisa é certa, este será um plantel "anti" JJ, já que o treinador pouco tem apostado nos jovens saídos do Seixal, apesar de ter rentabilizado alguns atletas com transferências que renderam alguns milhões de euros aos cofres do Benfica. Muitos são os nomes que agora começam a ser falados para serem re-integrados.

Publicidade
Publicidade

Considerado já como uma das boas escolas de formação da Europa, o Caixa #Futebol Campus no Seixal já deu a conhecer bons valores emergentes no futebol internacional. Os mais recentes casos são de Bernardo Silva, André Gomes, João Cancelo ou Hélder Costa, que poucas oportunidades tiveram para vingar na equipa principal da Luz mas que, nos primeiros dois casos, já renderam um total de 30 milhões de euros ao Benfica.

Com uma lógica de "exportação" a ser aproveitada pelo treinador encarnado, com vendas, em alguns casos avultadas, com jogadores sem grande "peso" no plantel principal, a ideia agora imposta por Luís Filipe Vieira é deixar de gastar dinheiro em jogadores de qualidade duvidosa e apostar sim nos jovens da formação. O presidente das águias não quer ver repetidos os casos desta temporada que ocorreram com Benito, Bebé, Luís Felipe, Djavan ou Candeias, tudo futebolistas contratados esta época em que nenhum acabou por vingar, tendo, à excepção do lateral suíço, saído todos antes ainda do início do campeonato.

Publicidade

Contenção "obriga" a aposta nos jovens. Guedes, Guzzo e Varela na primeira fila

Com plantéis de luxo nas últimas temporadas, o próximo ano promete ser um "choque" para os lados da Luz. Sócios, adeptos e a própria estrutura directiva terão que se habituar à ideia que a aposta num plantel com cerca de 15 a 18 atletas de tarimba, mais 7 ou 8 da formação, vai precisar de tempo para apanhar o andamento do actual Benfica. No entanto, é conhecida a qualidade dos muitos jovens que estão na equipa B ou até emprestados aos mais variados clubes.

Começando pela equipa B das águias salta logo à vista um nome, Gonçalo Guedes. O jovem atacante já jogou esta temporada pela equipa principal, inclusive na Liga dos Campeões. É sem dúvida a grande "bandeira" da nova fornada. Também no Seixal evolui Nelsinho, e o lateral direito pode ser aposta caso Maxi Pereira saia e Cancelo seja vendido ao Valência. Contratado em 2012 ao Sintrense, está a crescer a olhos vistos. João Teixeira, capitão dos "Bês" ainda foi titular na pré-época mas acabou por baixar à segunda equipa.

Publicidade

Pode regressar de vez em 2015/16. Do meio-campo passamos para a baliza onde Bruno Varela é há muito visto como o "sucessor" de José Moreira, como o próximo keeper da formação a chegar à titularidade. Outros nomes podiam ser falados, como são os casos de Nuno Santos, Victor Andrade, Lindelof, entre outros.

Já no que toca aos jogadores que evoluem fora do Seixal, o destaque cai claramente para Raphael Guzzo. Muitos são os nomes que podem ser apontados, mas para já não passam apenas de rumores. Certo é mesmo que para o ano, a versão 2015/2016 do Benfica vai ser oposta ao que Jorge Jesus tem feito nas últimas épocas, ou seja, com uma aposta clara na formação.