Actualmente o avanço da medicina já permite que muitas atletas não vejam o fim da sua carreira assim que optam por ser mães. A gravidez já não é vista como o fim das suas carreiras, mas como uma pausa, tal como acontece na maioria das restantes profissões. A verdade é que muitas atletas após a gravidez voltam às competições muitas vezes com desempenhos ainda melhores, isto tudo derivado de uma maior aposta na preparação física e psicológica.

O desporto de alta competição e a maternidade são compatíveis, um dos exemplos disso é Kim Clijsters, a tenista belga que foi a atleta número um no ranking mundial da modalidade de ténis feminino.

Publicidade
Publicidade

Kim Clijsters foi a vencedora do US Open em 2009, depois de dois anos ausente, período que dedicou ao nascimento da filha. Outra exemplo que demonstra que a gravidez não influencia a performance das atletas é o caso de Laura Flessel, que se manteve em competições até ao oitavo mês de gestação. A campeã francesa de esgrima regressou às competições e às medalhas olímpicas, quatro meses após o parto.

Também Marie Dorin Haber se junta ao leque de atletas que nunca abandonaram os treinos, confessando que acabou mesmo por ganhar cerca de seis ou sete quilos durante os nove meses de gestação, e que no próprio dia do parto fez um treino num terreno com desnível.

Muitas atletas dizem que a gravidez é estimulante para o rendimento desportivo. Ser mãe e regressar às altas competições é, assim, uma conquista para as atletas que retomam o seu percurso após uma pausa e após algumas alterações sofridas pelo corpo.

Publicidade

O primordial para as atletas é que estas nunca parem por completo a prática de exercício físico, permitindo assim um maior controlo do peso e da massa muscular. No entanto, existem actividades que devem ser feitas com maior precaução, como é o caso da corrida, que pode causar um traumatismo no períneo.

Outro factor que influencia em grande escala o sucesso do retorno destas atletas às competições é o ambiente familiar. Saber que o pai da criança está sempre presente é um apoio extra para atletas que muitas vezes têm que viajar, proporcionando uma segurança acrescida e fortalecendo o sucesso da combinação entre a carreira e a maternidade.