A primeira corrida foi de domínio completo por parte do piloto argentino, Jose Maria Lopez, que tinha conquistado a pole position e que acabou por sair com a vitória na primeira corrida em Marrocos. Mehdo Bennani foi ultrapassado na partida pelo piloto da Citroen, Ma Quing Hua, que se instalou na segunda posição e por lá ficou até ao fim da corrida. Nas primeiras voltas, os três C-Elysée estavam muito perto um dos outros mas, com o passar do tempo, Jose Maria Lopez conseguiu aumentar a sua vantagem face ao seu companheiro de equipa, Ma Quing Hua. Já Bennani ia perdendo tempo para os dois da frente e principalmente para Loeb, que acabou por pressionar o marroquino, que corria em casa.

Publicidade
Publicidade

Numa luta bastante interessante entre os dois, o francês acabou mesmo por ultrapassar e conquistar o último lugar do pódio.

Muller "ficou com o resto", tendo assim conquistado a 5º posição com a Citroen a colocar os cinco C-Elysée nas cinco primeiras posições. O português Tiago Monteiro andou em luta com o seu companheiro de equipa, o experiente, Gabriele Tarquini mas, a conseguir ocupar o sexto lugar, seria o melhor dos restantes e talvez o único lugar possível face à competitividade que os Citroen demonstravam em Marrocos.

Corrida 2

A segunda corrida iniciou da pior forma para o português. Tiago Monteiro até tinha realizado uma boa partida, em que tinha conquistado várias posições e ocupado o terceiro posto, até levar um toque logo na primeira chicane, causado por Tom Coronel.

Publicidade

Embora o toque tenha sido completamente involuntário, foi um fim-de-semana para esquecer para Tom Coronel. Devido ao toque, a corrida de Tiago foi completamente arruinada.

Na frente a luta era entre os dois Citroen, o de Muller e o de Loeb, com Muller a tentar ganhar vantagem a Loeb, sem sucesso. O antigo piloto de rali pressionava o companheiro de equipa, mas foi incapaz de o ultrapassar, tendo então de se contentar com a 2ª posição.

Lopez, que não queria deixar fugir muitos pontos para o campeonato, vinha a recuperar várias posições no pelotão mas, devido ao tempo que demorou a ultrapassar Chilton e Valente e ao andamento de Muller e Loeb, foi incapaz de se intrometer pelas duas primeiras posições, ficando a mais de 18 segundos do vencedor. As duas posições seguintes foram seguidas de dois Cruizes, o de Chilton, 4º lugar e o de Valente, que ficou em 5º lugar. Tiago Monteiro acabaria por terminar a corrida em 15º lugar. #Automobilismo