O desporto movimenta multidões, gera ódios e também muitas alegrias, no entanto, por vezes, a modalidade ou determinada equipa acaba por ser prejudicada devido ao comportamento dos adeptos. Desta vez foi a equipa do Fenerbahce que sofreu as consequências. Na noite de sábado, dia 4 de Abril, depois do jogo da 26ª jornada a contar para o campeonato turco, a equipa do Fenerbahce, que goleou momentos antes o adversário do Caykur Rizespor por 5 a 1, sofreu um atentado contra o seu autocarro, com disparos de armas de fogo e arremesso de pedras. Entre a equipa destaque para a presença do internacional português Bruno Alves, convocado pelo treinador Ismail Kartal para o jogo, contrariamente ao que aconteceu com o outro português que joga por esta equipa turca, Raul Meireles.

Publicidade
Publicidade

De acordo com as informações disponíveis, o ataque terá acontecido quando o autocarro da equipa se dirigia para o aeroporto de Trabzon e terá sido encetado pelos adeptos da equipa visitada. Apesar de toda a comitiva se encontrar bem, o motorista do autocarro não teve a mesma sorte. Comprovam as imagens colocadas nas redes sociais que a frente do autocarro está bastante danificada, o que poderá ter contribuído para a lesão do motorista. Apesar de ainda não se ter comfirmado se foi atingido por pedras ou por tiros, o motorista foi levado para o hospital, estando neste momento estável e a recuperar depois de ter sido submetido a uma intervenção cirúrgica. Também a equipa foi transportada para o aeroporto, mas em carros blindados.

A equipa onde jogam os portugueses conquistou com esta vitória a liderança do campeonato turco, com 56 pontos, apesar de esta ser provisória, uma vez que ainda resta aguardar pelo resultado de amanhã do Galatasaray, que se encontra com menos um ponto, estando logo atrás o Besiktas.

Publicidade

O jogo frente ao Rizespor começou da melhor forma, uma vez que aos dez minutos os visitantes já venciam por duas bolas e o golo da equipa da casa aconteceu apenas aos 62 minutos, apontado por Deniz Kadah. #Futebol