Danilo é, oficialmente, jogador do Real Madrid a partir da próxima época, com um vínculo válido até 2021 com os merengues. Com a venda do lateral-direito internacional brasileiro, que custou aos cofres do FC Porto cerca de 17.5 milhões de euros, os dragões vão encaixar 31.5 milhões de euros, ainda assim longe da cláusula de rescisão do defesa de 23 anos, fixada nos 50 milhões. Ainda assim, o FC Porto consegue, em tempos de crise, mais um negócio milionário.

Em pouco mais de uma década, tendo por base os relatórios e contas da SAD azul e branca, o FC Porto já ultrapassou, com vendas de jogadores e desde 2004, a impressionante fasquia dos...

Publicidade
Publicidade

600 milhões de euros!

A capacidade negocial da administração liderada por Pinto da Costa não é, de resto, uma novidade. Com efeito, a SAD do FC Porto é um autêntico case study, tendo já sido alvo de análises em órgãos de comunicação em toda a Europa, sobretudo pela capacidade de contratar barato e bem nos países da América do Sul, potenciar os ativos e depois vendê-los a grandes clubes europeus.

Tem sido assim, sobretudo desde 2004. Danilo é o caso mais recente, com os 31.5 milhões de euros, numa lista liderada pelas vendas de Radamel Falcao ao Mónaco e James Rodríguez ao Atlético de Madrid. Cada um deles rendeu 45 milhões de euros aos cofres do dragão.

De resto, durante esta década, o FC Porto já vendeu outros cinco jogadores acima dos 30 milhões de euros. Além de Danilo, também Ricardo Carvalho (Chelsea), Anderson (Manchester United) e, mais recentemente, Mangala (Manchester City) ultrapassaram essa fasquia, numa listagem que começou com a ida de José Mourinho para o Chelsea, acompanhado de Paulo Ferreira (20 milhões) e Ricardo Carvalho (30 milhões).

Publicidade

Os emblemas ingleses e espanhóis têm sido os principais clientes do FC Porto nestes últimos anos. Ainda assim, também o mercado russo tem sido aproveitado pelos dragões. A história começou logo em 2005, com o então milionário Dínamo Moscovo, que levou nesse ano Derlei (9 milhões), Seitaridis (10 milhões) e Maniche (16 milhões).

Depois de Moscovo, seguiu-se o Zenit e mais duas vendas milionárias. Primeiro a de Bruno Alves, em 2010, por 22 milhões de euros e, mais recentemente, em 2012, os tais 40 milhões de euros pelos 85% do passe de Hulk. #Futebol #F.C.Porto