Os confrontos entre adeptos do Arsenal Tula e o Torpedo Moscovo, a contar para a I Liga Rússia, originaram, neste domingo, detenções de 15 adeptos e a constatação de que no leste da Europa a violência no #Futebol é, cada vez mais, frequente.

Poucos dias antes do final de Março, a Rússia, mais concretamente Akinfeev, guarda-redes deste país, já tinha estado envolvida noutro caso, no encontro com Montenegro, a contar para a qualificação do Campeonato da Europa de 2016. O guardião esteve em campo durante 13 segundos, uma vez que foi atingido por um petardo em chamas. O jogo, disputado naquela antiga república da Jugoslávia, foi retomado, mas acabou por ser interrompido aos 66 minutos, devido a desacatos, o que originou o processo instaurado pela UEFA às duas selecções. Na sequência de estes e outros acontecimentos, há quem defenda que a Rússia não deve organizar o Mundial de 2018, inclusive a Ucrânia, país que tem estado em rota de colisão com os russos.

Publicidade
Publicidade

Em Belgrado, capital da extinta Jugoslávia, um drone com a bandeira da Albânia sobrevoou o relvado do jogo desta equipa com a Sérvia, que actuou na qualidade de anfitriã, noutro duelo a contar para a fase de qualificação do Europeu de 2016, a realizar em França. Houve invasão de adeptos e, mais uma vez, a UEFA foi forçada a intervir: atribuiu à selecção da casa a vitória administrativa por 3-0, porque era necessário haver um resultado, mas, como consequência, o organismo que tutela o futebol do Velho Continente retirou-lhe os três pontos e multou-a em 100 mil euros, valor que os albaneses terão, também, de pagar. A UEFA foi, no entanto, bastante criticada e responsabilizada pelos acontecimentos verificados em Belgrado, ao não impedir a presença destes dois países, no mesmo grupo, considerando as permanentes divergências existentes há vários séculos.

Publicidade

Portugal vê com mais atenção o conflito entre as selecções da Sérvia e Albânia, uma vez que são adversários nesta fase de qualificação: a 7 de Setembro, a equipa de Fernando Santos visita a Albânia, e, a 11 de Outubro, encontra os sérvios.

Ataque terrorista

Na Turquia, o autocarro do Fenerbahçe, equipa onde actuam os portugueses Bruno Alves e Raul Meireles, foi alvo de um tiroteio que provocou a explosão do vidro da janela do motorista, que sofreu vários ferimentos, depois do encontro com o Rizesport, neste sábado. A direcção do Fenerbahçe pretende a suspensão do campeonato turco.