Clássico é clássico e não se discute. Manchester United e Manchester City fizeram o ditado futebolístico tornar-se ainda mais real na partida deste domingo, na 32ª rodada da Barclays Premier League. Manchester United conseguiu reforçar o 3º lugar da Premier League depois de ter vencido o seu rival Manchester City por 4-2, com um estádio com cerca de 7500 espectadores. O United não teria ganho nenhum dos últimos 4 jogos entre estas duas equipas e o Manchester City consolida a 5ª derrota consecutiva fora de casa. Com esta derrota do City, 4 pontos separam as duas equipas, com os Red Devils a garantirem a permanência no 3º lugar.

O City até começou melhor, Kun Agüero a inaugurar o marcador logo aos oito minutos, após assistência de David Silva, mas a reacção do United foi imediata e aos 14 minutos Ashley Young restabeleceu o empate.

Publicidade
Publicidade

O mesmo Young serviu o internacional Maroune Fellaini para o segundo golo do United, aos 27 minutos, virando o resultado ainda antes do intervalo.

Na segunda parte, o United consolidou a sua superioridade e voltou a marcar aos 67 minutos, pelo internacional espanhol Mata, após assistência de Wayne Rooney, e aos 73 pelo defesa central Chris Smaling. Os citizens ainda conseguiram reduzir para 4-2, a um minuto do final, novamente por Kun Aguero, mas o destino da partida já estava traçado e a equipa confirmou o mau momento que atravessa ao somar a terceira derrota nos últimos quatro jogos para a Liga inglesa depois de ter andado meses a fio a disputar a liderança com o Chelsea, de José Mourinho.

Manchester United luta agora pelo 2º lugar, onde se encontra o Arsenal com mais 2 pontos, e em 1º lugar está o Chelsea, a 8 pontos de diferença.

Publicidade

O Manchester United vai no próximo sábado a casa do Chelsea disputar mais uma jornada e uma vitória dos Red Devils poderá fazer "tremer" a equipa de José Mourinho. Já o Manchester City entra em campo contra o West Ham, no domingo.

Matematicamente tudo é ainda possível e tanto o Manchester United como o Arsenal podem ainda sonhar e lutar pela liderança do campeonato, mas o certo é que o Chelsea só depende de si para se consagrar o próximo campeão inglês. #Futebol