Ontem, quarta-feira, dia 1 de Abril, foram colocados à venda os primeiros ingressos para os #Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. Abertos a todo o público via internet, os bilhetes praticamente voaram, com meio milhão de solicitações a darem entrada no site oficial do Comité Organizador. Apesar dos normais erros informáticos, as primeiras 6 horas foram um sucesso, registando-se uma elevada procura às mais variadas competições que vão ser disputadas nos Jogos do Rio. As cerimónias de abertura e de encerramento, bem como a final dos 100 metros livres no atletismo são para já os eventos com mais procura.

Já esta quinta-feira, dia 2 de Abril, o Comité Organizador anunciou que eram mais de 700 mil as solicitações para bilhetes.

Publicidade
Publicidade

Numa autêntica loucura, nem os preços exorbitantes estão a afastar os adeptos daquele que é o maior evento desportivo do Planeta. Além da já referida cerimónia de abertura, houve também um outro evento que teve uma elevada taxa de procura, as finais masculina e feminina de voleibol. O facto de ser uma modalidade com muito sucesso, e até com medalhas recentemente conquistadas para o Brasil, levaram a que já não haja bilhetes disponíveis. Mas voltando à cerimónia de abertura, os preços variavam entre os 60 e os 1350 euros, nada que demovesse os fãs. Tudo esgotado em pouco tempo.

Confirmada está também casa cheia para o Estádio Olímpico do Rio de Janeiro, quando se correr a grande final dos 100 metros livres em atletismo. Com dia e hora marcada - 14 de Agosto às 01:25 da madrugada - a presença mais do que natural de Usain Bolt despertou a natural "cobiça" dos quadradinhos mágicos que também voaram, quase tão rápido como o jamaicano.

Publicidade

Também a natação teve elevados níveis de solicitações de bilhetes. Com preços a rondar os 625 euros, a Piscina Olímpica vai contar com casa cheia em praticamente todos os dias. As finais, em especial, ficaram de imediato esgotadas.

Uma curiosidade quase comum a todos os compradores dos bilhetes é que adquiriram os "quadradinhos mágicos" sem saber quem na realidade vão ver a competir. Sabendo-se para já apenas os dias e, claro está, os horários em que se disputarão as mais variadas provas. Relativamente às horas em que vão ser disputadas as modalidades, muito trabalho foi feito para que o Continente europeu não tivesse que estar a pé até altas horas da madrugada. Em alguns casos o calendário foi mesmo alterado por diversas vezes, como aconteceu com a final dos 100 metros livres no atletismo ou as provas de natação que terão as fases de classificação sempre de manhã e as finais à noite.

Quem já veio a público contestar estes horários foram alguns treinadores de atletas que estarão no Brasil: "Estes horários são um autêntico escândalo", disse Jon Rudd, técnico da equipa britânica. Também o Comité Olímpico Austriliano pediu maior exigência, lembrando que se trata dos Jogos Olímpicos.