Cristiano Ronaldo marcou o primeiro golo do Real Madrid na vitória por 3-0 ante o Eibar, na sequência de um livre, quebrando um jejum de praticamente um ano sem golos cobrados desta forma. O último remate certeiro, na transformação de um livre, acontecera a 29 de Abril de 2014, ou seja há 347 dias e após 56 partidas, na goleada por 4-0, em Munique, frente ao Bayern, a contar para a Liga dos Campeões Europeus. Neste histórico encontro, CR7 bisou, tal como Sérgio Ramos.

O internacional português mantém o ritmo goleador imparável, mas, a partir do encontro com os bávaros, a aura de especialista a cobrar livres desapareceu, apesar das inúmeras tentativas. Os livres até tinham sido baptizados como Tomahawk por #Cristiano Ronaldo, em alusão aos mísseis utilizados pelos Estados Unidos. Na partida de hoje, a bola bateu no relvado antes de entrar na baliza, o que acabou por trair o guarda-redes Xabier Irureta.

Cristiano Ronaldo marcou assim o seu 49º golo nesta época em representação do Real Madrid, 38 dos quais em "La Liga", num total de 301 desde que actua nos blancos, embora o diário Marca, responsável pelo prémio para o melhor marcador em Espanha, lhe atribua 302 golos. CR7 tem agora mais cinco remates certeiros na I liga de "nuestros hermanos" do que Leo Messi, mas o Barcelona ainda não jogou com o Sevilha, numa visita que está marcada para hoje, sábado, às 19 horas. Na classificação, os "blancos" têm agora menos um ponto do que os "blaugrana", primeiros classificados.

Goleadores pouco habituais

O encontro do Real Madrid ficou marcado também pelos golos de Chicharito Hernández e de Jesé, aos 31 e 83 minutos, respectivamente, depois de terem merecido a titularidade, o que, na estratégia do treinador Carlo Ancelotti, não é vulgar.

Adversário de peso

O Atlético de Madrid é, pelas 19.45 horas da próxima terça-feira, o próximo rival do Real Madrid, no regresso da Liga dos Campeões e, teoricamente, os "blancos" vão sentir mais problemas, comparando com o jogo de hoje. Os rivais encontram-se novamente na principal prova da UEFA, depois de na época anterior terem sido finalistas, com a vantagem a pertencer a Ronaldo e companhia, que festejaram o décimo título do Real nesta competição. Contudo, nesta temporada os "colchoneros" têm sido superiores e ainda não perderam qualquer dérbi. #Futebol