Quatro anos depois foi colocado um ponto final na relação entre Rui Patrício e a Gestifute. A empresa do super empresário Jorge Mendes "perdeu" a representação do guardião do #Sporting e da Selecção Nacional, que entretanto já deu um novo rumo à gestão da sua carreira. O keeper leonino assinou pela ProEleven de Carlos Gonçalves com um objectivo bem definido, sair no fim desta temporada dos verde e brancos para um grande clube europeu. Constantes adiamentos para dar o "salto" levaram o jogador de 27 anos a tomar esta decisão.

Com contrato até 2018 e uma cláusula de rescisão de 40 milhões de euros, Rui Patrício é há muito um dos jogadores que é constantemente apontado com futuro fora de Alvalade, no entanto, e mesmo sendo representado pelo melhor empresário do Mundo, nunca tal sucedeu nas últimas quatro temporadas.

Publicidade
Publicidade

A cumprir a décima época seguida de titularidade quase absoluta, Rui Patrício apostou, em 2010, na Gestifute com o propósito de, mais cedo ou mais tarde, concretizar a saída para um dos melhores campeonatos do velho Continente. Agora, e na altura em que se volta a falar do interesse de alguns emblemas poderosos no seu concurso, o jogador natural de Marrazes, em Leiria, decidiu "romper" com Jorge Mendes e regressar para a "asa" de Carlos Gonçalves, exactamente de onde tinha saído em direcção inversa.

A operar em mais de 10 países diferentes, num total que ascende os 100 jogadores agenciados, a ProEleven tem vindo nos últimos anos a conseguir reunir um leque interessante de jogadores profissionais e do sector da formação. Nomes como Moreira (Omonia), Ventura (Belenenses), João Pereira (Hannover), Marcos Rojo (Manchester United), Daniel Carriço (Sevilha), Luís Martins (Granada), Pereirinha e Maurício (Lazio), Miguel Vítor (PAOK), Eliseu (Benfica), Tiago Gomes (Sporting Braga), Josué (emprestado pelo FC Porto ao Bursaspor), Ricardo Horta (Málaga), Hugo Vieira (Torpedo), Wilson Eduardo (Emprestado pelo Sporting ao Den Haag), Jefferson, Montero, André Martins e Capel (Sporting), Gonçalo Paciência (FC Porto) ou Ukra e Tiago Pinto (Rio Ave), são neste momento representados pela empresa de Carlos Gonçalves.

Publicidade

À extensa, mas incompleta, lista junta-se agora Rui Patrício que quer, definitivamente, assinar por um grande clube e dar o "salto" que qualquer jogador ambiciona.

Descontente com o facto de Jorge Mendes nunca ter conseguido "levá-lo" para outros voos, tal como fez com outros jogadores, inclusive da Selecção Nacional portuguesa, Rui Patrício aposta agora as fichas na ProEleven que estará já a tratar deste dossier. Esta semana foi noticiado o interesse do Liverpool, estando o Sporting disposto a conversar com um valor base na casa dos 15 milhões de euros. Ganha cada vez mais força a hipótese do guardião português ser mais um emigrante do #Futebol na próxima temporada.