A próxima época já está em preparação. Luís Filipe Vieira pretende investir menos em reforços e simultaneamente quer introduzir 6 a 7 jogadores da formação no plantel principal. Jesus pouco apostou nos jogadores da "casa", pelo que esta realidade poderá ser um entrave à sua continuação assim como o seu elevado salário, a vontade em se afirmar no estrangeiro e os resultados desta época. Lançamos 3 alternativas que parecem reunir um perfil desejado.

Rui Vitória, atual treinador do Vitória de Guimarães, tem feito um trabalho impressionante. Sempre com recursos limitados, apostando em vários jogadores da "Casa" na sua passagem pelo Paços de Ferreira (onde se estreou na 1.ª Liga) alcançou a final da Taça da Liga, em Guimarães, venceu uma Taça de Portugal (a 1.ª após 6 finais perdidas), já levou o clube à Europa.

Publicidade
Publicidade

Este ano, e apesar já ter perdido alguns jogadores importantes para outros clubes, está outra vez na luta pelas competições europeias. Entre outros clubes, também orientou durante 2 anos os juniores do #Benfica. Rui Vitória tem sido confrontado várias vezes com um regresso ao Benfica.

Quem não se lembra de um dos mais extraordinários guarda-redes que o #Futebol português e mundial já conheceu? Os benfiquistas adultos, e não só, certamente se recordarão do craque Michel Preud'Homme. O belga que teve azar de jogar no pior período de vida do Benfica, mesmo assim brilhou intensamente com a camisola encarnada, encerrando aqui a sua carreira em 1999. Ídolo na Luz, Preud'Homme tem por todas estas razões uma ligação forte com o país e com o clube. A sua carreira como treinador tem sido interessante.

Publicidade

E também por isso seria um treinador muito bem visto na Luz. Habituado a reformular equipas constantemente, começou em 2001/2002 com o seu clube de sempre, o Standard de Liège. Seguiram-se depois alguns anos na direção do mesmo clube, regressando ao banco do Liège em 2006, conquistando o campeonato belga (25 anos depois), mudou-se para o modesto Gent, onde venceu a Taça da Bélgica, chega à Holanda, ao Twente, na ressaca do primeiro campeonato conquistado por aquele clube. Com um novo plantel, a tarefa era difícil para qualquer treinador. Mesmo assim conquistou a Supertaça e a Taça da Holanda e foi ainda eleito o melhor treinador do ano. De seguida rumou ao Al Shabab e esta temporada regressou à Bélgica, desta vez para orientar o Club Brugge K.V. A Taça já está ganha e o campeonato já entrou na fase de Playoff, estando neste momento na liderança.

Marco Silva é dos 3 o que está em desvantagem. Para além de nunca ter estado no Benfica, a sua eventual vinda dependeria da dispensa dos seus serviços por parte do Sporting. O treinador tem feito um trabalho positivo em Alvalade e anteriormente no Estoril. Está habituado a apostar em jovens jogadores, privilegia o bom futebol e, segundo se diz, é benfiquista do coração. No ano passado demorou a aceitar a proposta do Sporting porque acreditava que podia suceder a qualquer momento a Jorge Jesus.