Numa altura em que nos encontramos numa última fase da competição dos principais campeonatos europeus, salta à vista um leque de treinadores portugueses a treinar no estrangeiro, seis para ser mais preciso, que podem estar muito perto de conseguirem feitos históricos, com 4 deles a liderarem os respetivos campeonatos e a serem os principais candidatos à conquista do título. Dos mais conhecidos, como é o caso de José Mourinho e André Villas-Boas, até aos menos consagrados, como é o caso de Nuno Espírito Santo e não só, poderão fazer história nos respectivos clubes sendo neste momento os grandes candidatos ao título.

Por terras inglesas encontramos José Mourinho, que treina o Chelsea, em Espanha temos o técnico Nuno Espírito Santo, que está a treinar o Valência, em França temos o ex-treinador leonino Leonardo Jardim, que coordena neste momento o Mónaco, a treinar o Basileia temos Paulo Sousa, Vítor Pereira está no Olympiacos e na Rússia temos André Villas-Boas, que está neste momento no Zenit.

Há meia dúzia de portugueses a dignificar, divulgar e honrar o nome do nosso país por essa Europa fora, prometendo fazer de Portugal, cada vez mais, uma marca de referência no desporto rei, e podendo alcançar um número inédito de títulos para as nossas cores numa só época.

José Mourinho - Neste momento, o Chelsea tem 6 pontos de vantagem sobre o campeão Manchester City, tendo ainda um jogo em atraso frente ao último classificado, podendo passar a dispor de 9 pontos de vantagem a 8 jogos do fim do campeonato.

André Villas-Boas - Nesta temporada, e a dez jornadas do fim, o Zenit lidera com cinco pontos de avanço sobre o campeão CSKA e, apesar da eliminação da Taça da Rússia e da Liga dos Campeões, o Zenit seguiu em frente na Liga Europa e está nos quartos-de-final onde irá defrontar o detentor do troféu, o Sevilha.

Vítor Pereira - O Olympiacos, aquando da chegada do técnico português, estava, em janeiro deste ano, na segunda posição, a um ponto do então líder PAOK.

Publicidade
Publicidade

Daí para cá, os resultados têm sido de tal maneira positivos que o Olympiacos, a cinco jornadas do fim do campeonato, tem 9 pontos de avanço sobre o segundo classificado (Panathinaikos) e 13 sobre o PAOK. A isto acresce o facto de o Olympiacos ter um jogo em atraso, pelo que o título está mesmo ao virar da esquina. Para além disso, o Olympiacos ainda está nas meias-finais da Taça da Grécia, onde é o grande favorito à conquista da prova, podendo, esta estreia por terras helénicas, ser coroada com uma dobradinha para Vítor Pereira.

Paulo Sousa - Neste momento, e com 25 das 36 jornadas já disputadas, o Basileia lidera com 7 pontos de avanço sobre o Young Boys e prepara-se para festejar o hexacampeonato.

Leonardo Jardim - Com 30 jornadas disputadas, o Mónaco é 4.º, está a 6 pontos da liderança e… tem um jogo a menos.

Publicidade

Isto pode colocar os comandados de Leonardo Jardim a apenas 3 pontos da liderança, a 2 do segundo classificado e a 1 ponto do pódio. Algo que seria difícil de imaginar há alguns meses atrás.

Nuno Espírito Santo - Dos 6 treinadores, este é o único que poderá não vencer qualquer troféu esta temporada, mas é, certamente, um daqueles que "mais venceu" este ano, abrindo, de par em par, as portas para mais uma temporada no Mestalla e, quem sabe, após terminar esta experiência, tenha as portas abertas para outros campeonatos com outras equipas com objetivos semelhantes. #Futebol