Se a etapa de ontem colocou várias dificuldades na frente dos corredores, a de hoje não foi excepção, com 8 contagens de montanha num percurso de 155,5 quilómetros entre Eibar e Aia. A fuga do dia constituiu-se sob a forma de um pequeno pelotão, já que um total de 31 corredores conseguiram distanciar-se do resto da concorrência, representando um total de 15 equipas diferentes. Entre os fugitivos encontravam-se vários nomes com provas dadas em terrenos acidentados com os da etapa de hoje, mas que por variadas razões já não eram perigo para a Classificação Geral e para o seu líder Sergio Henao (Team Sky).

Também o português Bruno Pires (Tinkoff-Saxo) foi um dos atacantes do dia de hoje, fazendo parte deste grupo de 31. Duas das equipas que não possuíam nenhum elemento da fuga eram a Sky do Camisola Amarela Henao e a Katusha de Joaquim Rodriguez, formações responsáveis por grande parte do trabalho no pelotão principal. #Ciclismo

A cerca de 18 quilómetros da meta, o Campeão do Mundo Michal Kwiatkovski (Etixx - Quick Step) foi o primeiro dos homens da Geral a atacar, na primeira ascensão ao Alto de Aia que na sua parte final possuía uma inclinação perto dos 25%. O seu colega de equipa Tony Martin, que se encontrava na fuga inicial, ajudou o polaco nos quilómetros seguintes do seu esforço para recuperar algum do tempo perdido para os restantes favoritos na etapa anterior. Entretanto, o grupo da frente ia perdendo unidades devido a todas as dificuldades, com Tom Danielson da Cannondale - Garmin, Tim Wellens e Tony Gallopin da Lotto Soudal e Rein Taaramäe e Mikel Landa da Astana a serem os últimos resistentes.


Na última subida ao Alto de Aia, no qual ocorreu o final da etapa, Tim Wellens foi o primeiro dos fugitivos a procurar a vitória na etapa, sendo seguido apenas por Mikel Landa que conseguiu seguir o ciclista da Lotto Soudal e depois ser ele próprio a lançar o ataque decisivo. Landa chegou à meta isolado para conquistar a sua primeira vitória da época, ainda por cima diante do seu público, já que o ciclista da Astana é natural do País Basco. No grupo dos favoritos à Classificação Geral, Simon Yates (Orica GreenEDGE) foi o primeiro a atacar e conquistou alguns segundos de vantagem para Sergio Henao e Joaquin Rodriguez que se mantiveram em marcação serrada, deixando Nairo Quintana ligeiramente para trás. Kwiatkovski acabaria por ser alcançado por força destes ataques, chegando com o colombiano da Movistar.


Rui Costa foi o 18.º classificado na etapa, chegando a 1:14 de Landa mas limitando as perdas para os candidatos à vitória final. O ex-Campeão do Mundo mantém o seu 12.º lugar na Classificação Geral, a 44 segundos de Sergio Henao, que mantém a liderança com o mesmo tempo de Joaquim Rodriguez. Quanto aos outros portugueses, André Cardoso da Cannondale - Garmin foi 55.º a 4:37 de Landa e Bruno Pires pagou todo o trabalho na fuga, chegando apenas na 67.ª posição, a 6:14 do vencedor.


A Volta ao País Basco termina amanhã com um Contra-Relógio Individual de 18,3 quilómetros onde ainda há muito para decidir. Para além de Henao e Rodriguez estarem empatados com o mesmo tempo, Simon Yates está a apenas 7 segundos e Nairo Quintana a 12 segundos. Quanto a Rui Costa, sendo um bom Contra-Relogista é de esperar que consiga subir algumas posições na Classificação Geral, apesar de a vitória ser um objectivo quase impossível.