A arbitragem da final da Taça Challenge, do último domingo, 24 de maio, foi qualificada de 'vergonhosa' pelos responsáveis, atletas e adeptos do ABC de Braga. As críticas da equipa foram apoiadas pelos delegados da EHF (Federação Europeia de #Andebol), presentes no encontro da Roménia, que no final do jogo pediram desculpa aos jogadores do ABC.  

Esta foi a terceira final europeia para a equipa minhota que voltou a não ter sorte. No entanto, os responsáveis da equipa acreditam que não os deixaram lutar para encontrar a felicidade no final. O ABC viajou até ao pavilhão do Odorhei com uma vantagem de quatro golos (32-28), resultado que se revelou muito curto após as incidências do encontro.

Publicidade
Publicidade

A equipa acabaria por perder por 32-25, e perdeu a Taça Challenge, Mas, as maiores dificuldades não foram impostas pela equipa romena mas sim pelos árbitros macedónios, que terão prejudicado (muito) a equipa minhota.

O Jornal 'A Bola' quantifica os erros: sete livres de sete metros a favorecer o Odorhei por violação da área pelos jogadores do ABC, quando empurrados pelos adversários; cinco faltas atacantes marcadas ao ABC quando eram os jogadores portugueses a estar agarrados, quase sem camisola; e o mais caricato dos lances: um murro de Sucia em Pedro Seabra com a mão esquerda, remate para golo com a direita. Decisão da arbitragem? Validou o golo do Odorhei e excluiu o central português por dois minutos...  

Estes foram alguns dos momentos mais negros de uma arbitragem muito tendenciosa, e que validou ainda alguns ataques ao Odorhei, em clara falta ofensiva e até em passos.

Publicidade

O experiente Fábio Vidrago, internacional português há vários anos, viu anulados alguns golos, por alegada violação de área, que pelo menos, deixaram muitas dúvidas.  

No final do encontro, alguns jogadores do ABC, entre eles o capitão Humberto Gomes, rodearam a dupla de arbitragem, e aplaudiram-os ironicamente, ainda incrédulos com o sucedido. Outros, como João Paulo Pinto, caíram no chão a chorar, tal o desalento.

Mas foi logo após o encontro que o delegado ao jogo, Bozidar Djurkovic, da Sérvia, pediu desculpas ao ABC, como cita o 'Diário do Minho': "Desculpem-nos, isto foi demais. Vocês têm toda a razão". Também o delegado espanhol Joan Marín reconheceu mais tarde que teria "muita dificuldade para escrever o relatório do jogo, visto que os erros da equipa de arbitragem foram demasiado evidentes".  

O sentimento de revolta é muito grande entre os jogadores do ABC, após uma arbitragem que os impediu de concretizar o sonho. O treinador Carlos Resende pede que o andebol avance e que "caminhe para a verdade desportiva", defendendo a "repetição de jogos, mudando os árbitros, para se evitar erros tão grosseiros quanto estes".

Publicidade

 

Ricardo Pesqueira pergunta na página de Facebook "qual o valor da honra", dizendo que não troca nada pela "dignidade", e que viu um "andebol sujo" e "realidade moldada". Também no Facebook, o jovem Tomás Albuquerque relembra que em 2005 viu o ABC perder a final da Taça Challenge, sentado no pavilhão, como adepto. Desta vez, esteve do lado de dentro, reforçando apenas uma ideia: "Depois da final que todos viram acho que me devo agarrar apenas a isto: o sonho continua por realizar, intacto", salientou o jovem atleta.  

Recorde-se que esta equipa do Odorhei eliminou o Benfica nas meias-finais da Taça Challenge, também com erro crasso da equipa de arbitragem, que levou a equipa portuguesa a protestar o jogo. A EHF deu razão ao Benfica, mas não repetiu o jogo.