O Clube Boavista São Mateus terminou, no passado fim-de-semana, o Campeonato dos Açores, em #Futsal, no escalão de seniores masculinos, na quarta posição e subiu à segunda divisão nacional. Apesar duma caminhada algo difícil na prova, a formação da Ilha do Pico, no Arquipélago dos Açores, logrou alcançar o quarto lugar da classificação geral, com 19 pontos, os mesmos que a ADCP Biscoitos, o que lhe permite a estar presente na próxima época desportiva no Campeonato Nacional da 2ª Divisão de Futsal Masculino - Açores.

Roberto Silva foi o técnico que orientou e conquistou este importante título para os picoenses, depois de alguns anos da modalidade de futsal ter estado "adormecida" no seio do Boavista São Mateus, um clube recheado de história e títulos.

Publicidade
Publicidade

Inaugurado a 1 de Janeiro de 1982, o Clube Boavista de São Mateus arrancou, na Ilha do Pico, como uma colectividade desportiva, tendo por base colmatar algumas lacunas na freguesia, algo que conseguiu. O futebol de onze foi desde sempre a sua grande bandeira, mas, nos últimos anos, surgiram as dificuldades financeiras. Por esse motivo, há três anos a direcção do clube decidiu abandonar o futebol de onze e dedicar-se ao futsal. Desde então a colectividade manteve dois escalões de futebol de formação em funcionamento e lançou-se de coração e alma no futsal. De tal forma que, na época 2013/2014, foram campeões da Ilha do Pico e sagraram-se ainda campeões da Associação de Futebol da Horta, tendo então subido à terceira divisão.

Na presente temporada desportiva, que agora terminou, alcançaram de novo mais uma conquista, "é sempre a subir", referiu Roberto Silva.

Publicidade

O nosso interlocutor fez questão de ressalvar que este foi o seu primeiro ano como técnico nos seniores campões, pois anteriormente passou por alguns clubes na Ilha de São Miguel, nomeadamente o Clube Operário Desportivo, na altura na primeira divisão nacional.

Relativamente ao plantel que Roberto Silva encontrou quando chegou ao Boavista de São Mateus, o mesmo afirmou que reparou "de imediato que muita coisa tinha que ser feita, pois os atletas vinham todos do futebol de onze. Como tal, não traziam o traquejo de quem começa de pequeno com a arte de driblar a bola de forma diferente e em pavilhão. Era necessário implementar novo tipo de treino, novos métodos técnicos e tácitos. Portanto, previ no início da época um trabalho muito difícil, e começámos a trabalhar com um objectivo de não ficarmos em último lugar da tabela classificativa. Agora reconheço que foi difícil, e mesmo algo "duro" para alguns atletas esta nova adaptação, mas subimos de divisão, quando não pretendíamos ser os últimos no final do campeonato.

Publicidade

Isto é para mim uma dupla vitória...".

A foto do técnico Roberto Silva

Roberto Silva tem 46 anos, é casado e pai de três filhos, sendo natural da Ilha do Pico, nos Açores. Permaneceu nos últimos 24 anos na Ilha São Miguel, por questões laborais, onde registou no seu historial desportivo passagens por clubes como: Sport Lagoa e Benfica, Valentes, Operário (COD) e Clube Desportivo Juventude Candelária.

Agora que voltou à sua terra natal, agarrou o seu clube, e, em pouco tempo (apenas uma época), deixou uma marca nunca antes alcançada pelo Boavista. Roberto Silva referiu ainda que pretende ir bem mais longe no futsal na sua Ilha. Para já assinou com o Boavista São Mateus por mais uma época, embora vários clubes tivessem mostrado interesse no seu trabalho desportivo. Vamos esperar para ver e aguardar maiores emoções saídas deste grande técnico.