Terminou em polémica o Grande Prémio do Mónaco, no último domingo, 24 de maio, e com Lewis Hamilton a não disfarçar a cara de 'poucos amigos'. É que deve ter sido precisamente assim que o piloto britânico de Fórmula 1 se sentiu: com poucos amigos, quando a equipa Mercedes, por um alegado "erro matemático", o retirou da vitória. Nico Rosberg, sem que nada o fizesse prever saltou para a vitória, e Sebastian Vettel deu o segundo lugar do pódio à Ferrari, fechado pelo azarado Hamilton.

Depois de dominar o fim-de-semana no Mónaco, Lewis Hamilton saiu na frente na prova final. Apesar da investida dos alemães Rosberg e Vettel, o campeão do mundo conseguiu manter a frente da corrida.

Publicidade
Publicidade

Depois, foi o normal. O Circuito do Mónaco não é fácil para ultrapassagens e, ainda por cima, Hamilton 'voava' na frente. Mais rápido, restavam poucas dúvidas de quem seria o vencedor.

No entanto, a emoção voltaria à pista, após um erro da Mercedes. A menos de vinte voltas para o fim do Grande Prémio, Hamilton liderava com mais de 20 segundos sobre o colega de equipa, Nico Rosberg. Mas um choque entre Max Verstappen e Romain Grosjean precipitou o desfecho da prova.

Durante o período com safety car virtual, a Mercedes chama Lewis Hamilton às boxes. Poderia ter corrido bem, mas entrou em pista o safety car, e os vinte segundos de vantagem que Hamilton trazia não foram suficientes para regressar na liderança e, pior ainda, saiu das boxes atrás também do Ferrari de Sebastian Vettel.

Publicidade

A Mercedes justificou o "erro" por achar que os outros também iriam parar e que o erro matemático terá ficado em 3,5 segundos.

O safety car continuou mais umas voltas em pista, e Hamilton ia sofrendo na terceira posição da corrida. Sai o Mercedes SLS da frente e Rosberg dispara. Apesar dos pneus novos, Hamilton foi incapaz de ultrapassar o tetra-campeão mundial Vettel, e terminou mesmo no último lugar do pódio.

Nico Rosberg festejou pela terceira vez no Mónaco, mas no final reconheceu que teve "muita sorte" e que "Lewis merecia ganhar". Não obstante, celebrou a vitória de forma exuberante, o que não agradou a alguns fãs da Mercedes. No entanto, Rosberg fez uma corrida perfeita e é completamente alheio ao suposto erro que terá impedido a vitória do colega.

Hamilton não disfarçou o desagrado mas, em conferência de imprensa, lamentou o sucedido mas mantém a confiança na equipa: "Ganhamos juntos e perdemos juntos".

Nas contas para o título, Hamilton mantém a liderança do Mundial de Pilotos, agora com apenas dez pontos sobre Nico Rosberg, e 28 sobre Vettel. Segue-se o Grande Prémio do Canadá. #Automobilismo