De forma bastante surpreendente, Stuart Bingham apurou-se para a final do Campeonato do Mundo de #Snooker, que decorre em Sheffield, Inglaterra, deixando pelo caminho os favoritos Ronnie O'Sullivan e Judd Trump. A longa carreira do inglês de 38 anos (nascido em Basildon, a 21 de Maio de 1976) atinge o seu apogeu na prova que decorre no Crucible Theatre até dia 4 de Maio. Defronta Shaun Murphy, "The Magician", a quem é atribuída a maior dose de favoritismo. Mas o "Ball-run" é exemplo de perseverança e a sua motivação estará no pico máximo para aproveitar a sua primeira participação na final mais desejada.

Profissional desde 1995, Bingham tem lutado por um lugar-ao-sol no circuito de snooker, mas, dada a qualidade da actual geração, apenas conta com duas vitórias em torneios de topo (Australian Open, em 2011, e Shanghai Masters, em 2014) e nunca foi além do 4º lugar do ranking mundial.

Publicidade
Publicidade

Apresenta um total de 12 vitórias em torneios e já arrecadou perto de 1.400.000£ (aproximadamente 1.900.000€) em prémios. Curiosamente, os resultados de maior destaque foram obtidos a partir de 2011, quando já tinha 34 anos, idade relativamente avançada, em que muitos já perderam o entusiasmo.

Colaborador da Amnistia Internacional e apoiante de diversas causas solidárias, lutará com Shaun Murphy pela coroa da glória na mais importante prova do snooker mundial, na sua primeira participação no jogo decisivo do Campeonato do Mundo.

A sua participação na prova fica, inevitavelmente, marcada pela eliminação do famosíssimo Ronnie O'Sullivan, nos quartos-de-final, mas a vitória mais importante terá sido perante Judd Trump na "negra" das meias-finais. Perante os principais favoritos, o "Ball-run" demonstrou toda a sua garra e exibiu-se a um nível muito elevado, aumentando as expectativas sobre o desempenho frente a Murphy.

Publicidade

Os amantes da modalidade esperariam que esta final se decidisse entre jogadores como Mark Selby (1º do ranking e actual campeão do Mundo), Ronnie O'Sullivan (2º), Ding Junhui (3º) ou Neil Robertson (4º), depositaram enorme entusiasmo em Judd Trump (6º) e assistiram ao surgimento sensacional de Anthony McGill (32º, eliminou Selby). Contudo, preparam-se para assistir a uma final emocionante entre Stuart Bingham e Shaun Murphy, que têm mostrado, provavelmente, o seu melhor snooker de sempre. A não perder!