Depois de muitos rumores começam a chegar as confirmações. Depois de um campeonato muito disputado, o mercado de transferências está mais agitado do que nunca. No FC Porto, heptacampeão nacional, o treinador Ljubomir Obradovic deixa uma herança muito pesada. O sérvio não renovou e para o seu lugar entra Ricardo Costa, ex-atleta do FC Porto e treinador do Maia-Ismai.

Conhecida a decisão de Obradovic deixar o FC Porto (e um legado de seis campeonatos conquistados), a equipa começou a mexer-se para encontrar a solução mais viável. Muito se especulou em torno de Manolo Cadenas, um credenciado treinador espanhol, e até de Javier Zupo, que irá treinar o Sporting. No entanto, o jornal O Jogo informa na edição deste Domingo que Ricardo Costa, de 38 anos, é o sucessor de Obradovic.

Publicidade
Publicidade

Ricardo Costa conhece melhor do que ninguém a estrutura do FC Porto e, nesse sentido, é uma escolha que trará uma linha de continuidade à equipa. O jovem treinador foi adjunto de Obradovic durante três anos, antes de tentar a sorte como treinador principal. À frente do Maia-Ismai não levou a equipa à fase final de apuramento de campeão, mas conseguiu mantê-la na primeira divisão, ao terminar em 10º lugar.

Rui Silva é o reforço há muito anunciado

O central Rui Silva é anunciado há muitos meses como reforço do FC Porto. O talentoso central português deixa o Sporting ao final de cinco épocas de verde-e-branco e junta-se ao FC Porto. O jovem vimaranense vai ser orientado por Ricardo Costa, numa equipa que já confirmou a permanência da grande estrela da equipa Gilberto Duarte e prolongou o vínculo por mais cinco anos com o jovem craque Miguel Martins.

Publicidade

O jovem central de 17 anos é um dos mais promissores atletas nacionais e alguns rumores apontam para um possível empréstimo, para que Miguel possa jogar mais. O Ademar Leon, de Espanha, é um dos clubes apontados a Miguel Martins, que vai, no entanto, permanecer ligado ao FC Porto.

De saída do FC Porto, informa o jornal O Jogo, estão o internacional português João Ferraz (para o Wetzlar, da Alemanha), o dinamarquês Mick Schubert (uma saída há muito prevista), Babo e Wesley Freitas, que nunca se conseguiram impor na equipa de Obradovic. #F.C.Porto #Andebol