Um dia de sol, uma cidade única, milhares de espectadores, 27 metros de altura, um rio, 15 atletas. Assim foi a 50.ª e última etapa do "Red Bull Cliff Diving World Series" em Bilbau, em Espanha, este sábado, dia 26 de setembro. Depois de passar pela América do Sul, Europa e Estados Unidos, o campeonato de saltos em altura retornou a Europa, mais precisamente ao rio Nérvion. Sobre as águas do rio e com o museu contemporâneo Guggenhein como cenário de fundo, foi construída uma plataforma de 27 metros de altura, no tabuleiro da ponte de La Salve para receber os campeões mundiais de saltos para água.

Cada salto um desafio, um risco, uma busca pela perfeição.

Publicidade
Publicidade

De abril a setembro, os atletas participaram ativamente na luta pela melhor classificação. Colômbia, França, Estados Unidos da América, Dinamarca, Portugal (Açores), Bósnia Herzegovina, Itália e Espanha foram os países selecionados para receberem o campeonato "Red Bull Cliff Diving". Com todos os títulos já atribuídos, Gary Hunt sagrou-se campeão pela quinta vez em sete anos de competição. Este último encontro foi um exclusivo dos homens, visto que as senhoras terminaram o seu campeonato no dia 13 de setembro na cidade italiana, Polignano a Mare, e a americana Rachelle Simpson foi a campeã de 2015.

O "Red Bull Cliff Diving" obedece a regras semelhantes aos saltos para água olímpicos. Mas, a diferença principal reside no fato da plataforma ser montada a uma altura fixa de 27 metros, proporcionando uma aceleração próxima do arranque de um carro de Fórmula 1 a 100 km/hora em menos de três segundos.

Publicidade

A competição existe desde 2009 e tem proporcionado um desenvolvimento bem estruturado da modalidade e dado uma excelente oportunidade a uma nova geração de atletas. Saliente-se ainda a entrada feminina na competição desde 2014. 

O principal atrativo na etapa final em Bilbau foi a luta pela permanência no circuito mundial de 2016, acessível somente para os seis primeiros classificados. O campeão mundial de 2013 Artem Silchenko (Rússia), que ficou em nono na classificação geral de 2015, não pôde competir devido a uma lesão muscular na etapa da Itália. Por ordem de classificação, na final em Espanha ficaram Steven LoBue (EUA), Orlando Duque (Colômbia), Blake Ardridge (Reino Unido), Mikal Navratil (Checoslováquia), David Cantos (EUA), Jonathan Paredes (México), Andy Jones (EUA), Sérgio Guzman (México), Kris Kolanus (Polónia), Gary Hunt (Reino Unido), Kyle Mitrione (EUA), Jucelino Júnior (Brasil), Miguel Garcia (Colômbia) e por último classificado, Alessandro de Rose (Itália).  #Desportos Radicais