O sérvio Novak Djokovic venceu neste domingo, 31 de Janeiro, a final do Open na Austrália, batendo o britânico Andy Murray por 6-1, 7-5 e 7-6. O número um do mundo confirmou o seu favoritismo e conquistou o sexto título no torneio do Grand Slam disputado em Melbourne. Com um Djokovic sempre seguro e eficaz, o jogo inconstante e instável de Murray não permitiu que este conquistasse qualquer set na final. O português Carlos Ramos foi o árbitro do encontro entre os dois jogadores que lideram o ranking ATP.

O primeiro set foi bastante desnivelado. O número dois do mundo entrou desconcentrado e não conseguiu estar ao nível que apresentou ao longo das duas semanas do primeiro Grand Slam da temporada.

Publicidade
Publicidade

Djokovic conseguiu mesmo chegar aos 5-0 e concluiu ao cabo de pouco mais de meia hora o primeiro set com o parcial final de 6-1.

No segundo set Murray conseguiu elevar o seu nível de jogo e causar mais dificuldades a Djokovic. Com pancadas de excelente nível de parte a parte, os tenistas ofereciam um grande espectáculo de #Ténis, mostrando o porquê de serem os número um e número dois do ranking mundial. O elevado número de erros não forçados acabou mesmo por fazer a diferença e o sérvio levou de vencida a segunda partida por 7-5.

Para a última partida do encontro estava reservada a fase mais equilibrada do encontro, que acabou mesmo por ter de ser decidida num tie-break, onde novamente os erros não forçados de Andy Murray acabaram por entregar o encontro a Novak Djokovic, com o resultado de 7-3.

Publicidade

Ao fim de pouco mais de três horas de encontro o sérvio fechava a final do Open da Austrália com o resultado de 6-1, 7-5 e 7-6.

De salientar a presença de Carlos Ramos como árbitro de cadeira da final do Open da Austrália. O português é um dos mais conceituados juízes do circuito profissional de ténis e já conta no seu currículo com várias finais de torneios do Grand Slam.

Com este triunfo Djokovic somou o seu 11º título do Grand Slam, seis dos quais conquistados em Melbourne. Desta forma igualou Bjorn Borg e Rod Laver no ranking dos jogadores com mais títulos dos quatro principais torneios do circuito ATP. Esta lista é encabeçada pelo suíço Roger Federer que tem 17 títulos do Grand Slam no seu palmarés.

João Sousa confirmou a boa forma

Fazendo um rescaldo das duas semanas no que diz respeito à participação portuguesa, João Sousa voltou a mostrar que está em grande forma, tendo sido batido na terceira ronda pelo finalista derrotado Andy Murray. O vimaranense mostrou que o seu jogo está a evoluir e conseguiu mesmo colocar o britânico em sentido ao conquistar o segundo set da partida.

Ao conseguir chegar novamente à terceira ronda do torneio de Melbourne, o português garantiu a defesa dos pontos conquistados na temporada anterior, o que lhe irá permitir manter-se entre o lote dos 40 melhores jogadores do ranking ATP.