João "Rafeiro" Carvalho era um lutador de MMA, que morreu na passada terça-feira, dia 12, depois de ter participado na sua primeira luta internacional. João tinha 28 anos, e defrontou o lutador Charlie Ward, em Dublin, na Irlanda, tendo sido derrotado por knock-out técnico. As imagens mostram que "Rafeiro" estava a ser socado na cabeça sem conseguir reagir, quando o árbitro interrompeu o combate. O jovem deu entrada no hospital e teve de ser operado à cabeça, devido a um derrame cerebral, mas a cirurgia não foi suficiente para que o lutador continuasse vivo. 

A morte do lutador apanhou a sua família de surpresa, mas o que mais está a revoltar a família de "Rafeiro" foi o facto de o jovem de 28 anos ter assinado um contrato para lutar que não incluía um seguro.

Publicidade
Publicidade

Alexandre Silvestre, irmão do lutador, quer que se encontrem os responsáveis pela morte de João. 

De acordo com o site da Sábado, Alexandre declarou que o documento que o seu irmão assinou apenas dizia que os atletas tinham consciência dos riscos, no entanto não era claro sobre quais os riscos que estavam implícitos. 

Alexandre Silvestre declarou à CMTV que, no seu parecer, os responsáveis pela morte do atleta de MMA são as pessoas que trataram da organização do evento. Para este homem que agora chora a perda do irmão mais novo, os responsáveis pela organização, a Nóbrega Team, são aqueles que poderiam ter evitado que esta situação não acontecesse. Silvestre disse que a sua intenção não é arruinar a imagem das pessoas que praticam este desporto, mas sim evitar que situações como estas possam acontecer a outros atletas de MMA. 

Os familiares de João correm o risco de não terem direito a uma indemnização, uma vez que as regras do desporto foram cumpridas, como já foi divulgado pela Nóbrega Team (equipa que representava o lutador) e pelo pai do opositor de João.

Publicidade

O pai de Charlie Ward falou com membros da comunicação social dizendo que a morte de João foi acidental, e que o seu filho não teve qualquer intenção de matar ninguém. Esta indemnização só será recebida se for comprovada alguma falta por parte do árbitro da luta, observou Larry Fenelon, um jurista irlandês.

João Carvalho deixou dois filhos menores de idade.  #Violência #Desportos Radicais